quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

CICLO TRIENAL - SEDRAH 139 (Semana de 01 a 07 de dezembro/2013)

(Shabat Shalom)
Torah: Devarim/Deuteronômio 21:10-22:5
Tema: Normas Diversas; O uso de Trajes do sexo oposto
Haftarah: Yirmiyahu/Jeremias 41; Michah/Miqueias 5
Tema(s): A morte de Guedaliah e a fuga para Mitzrayim/Egito
Shirim U’Chochmah: Shir HaShirim/Cântico dos cânticos 7:12-8:4
Tema: O amor do Amado pela Amada
Shir Mizmor: Tehilim/Salmos 139
Tema: A constante presença do Eterno

TORAH
Devarim/Deuteronômio 21:
10 Quando tu travares guerra contra teus inimigos, o Eterno te dará vitória sobre eles, de modo que tu os tomarás cativos. 11 Se tu vires uma mulher bonita entre os prisioneiros e a desejares, tu podes tomá-la com mulher[1]12 Em tal caso[2], quando tu a trouxeres para casa, ela deve raspar a sua cabeça[3] e deixar crescer as suas unhas. 13 Ela deve tirar sua roupa de cativa[4] e permanecer em tua casa um mês completo, enlutada por seu pai e sua mãe[5]Somente então tu podes ter intimidade com ela e a possuir, fazendo-a tua esposa[6]14 Se tu não a desejares, no entanto, tu deves enviá-la livre. Uma vez que tu a afligiste[7], tu não podes vendê-la ou mantê-la como uma serva[8]15 Esta é a lei quando um homem tem duas mulheres: Uma que ele ama e uma que ele desgosta; e ambas as esposas, a amada e a não amada, possuem filhos, mas o primogênito é daquela não amada. 16 No dia em este homem lega sua propriedade a seus filhos, ele não deve dar ao filho da mulher amada a primogenitura, em preferência ao primogênito, que é filho da mulher não amada. 17 Mesmo se o primogênito é o filho da mulher odiada, o pai deve reconhecê-lo para dar-lhe uma dupla porção de toda a sua propriedade. Uma vez que este filho é o primeiro fruto da virilidade[9] de seu pai, é legalmente sua a primogenitura. 18 Quando um homem tiver um filho teimoso[10], rebelde, que não obedece a seu pai e a sua mãe, eles o açoitarão. Se ele ainda não os ouve, 19 então seu pai e mãe devem agarrá-lo e trazê-lo aos anciãos de sua cidade, para a área do Supremo Tribunal[11]20 Os pais devem declarar aos anciãos de sua cidade: 'Nosso filho é teimoso e rebelde. Ele não nos ouve e é um glutão[12] e bêbado[13] excepcional[14]21 Todos os homens de sua cidade então o apedrejarão até a morte, para que tu te livres do mal em teu meio. Quando todo Yisra'El ouvir a respeito, eles temerão. 22 Quando um homem é legalmente sentenciado à morte e executado, tu deves então pendurá-lo na forca[15]23 Porém, tu não podes permitir seu corpo permanecer na forca de um dia para o outro, mas tu deves enterrá-lo no mesmo dia[16]. Uma vez que uma pessoa que tenha sido enforcada é uma abominação para o Eterno[17], tu não deves permitir que ela impurifique a terra que o Eterno, teu Elohim, está te dando como uma herança.


[1]Devarim/Deuteronômio 21:11 – Como mulher. Segundo a tradição, ele poderia casar-se com ela imediatamente se ela concordasse em se converter ao judaísmo. Outros porém entendem que ele deve esperar ainda três meses para conhecê-la, coabitando com ela. Considerar a Nota de Rodapé para o perek/capítulo 21, passuk/versículo 13. 
[2]Devarim/Deuteronômio 21:12 – Em tal caso. Isto é interpretado, segundo a tradição, como: 'caso ele não deseje se converter imediatamente'.
[3]Devarim/Deuteronômio 21:12 – Raspar a sua cabeça. Temos em Vaiykrah/Levítico 14:“8 A pessoa submetida à purificação então mergulhará sua roupa e o sacerdote raspará todo o cabelo da pessoa. Ela então mergulhará numa mikveh e assim completa a primeira parte do processo de purificação. Ela pode retornar ao acampamento, mas deve permanecer fora de sua tenda por sete dias”. A expressão: 'fora de sua tenda' significa, segundo a tradição, que a pessoa estava ainda privada de intimidade com seu cônjuge, porque nesse período ainda tornaria impura qualquer coisa ou pessoa com que tivesse contato.'. E ainda Bamidbar/Números 8:“7. Para purificá-los, tu deves aspergir a água da oferenda do pecado sobre eles, depois de eles terem raspado todo seu corpo com uma lâmina. Eles então mergulharão seus corpos e suas roupas e eles estarão puros.”.
[4]Devarim/Deuteronômio 21:13 – Tirar sua roupa de cativa. Segundo a tradição, removendo todo vestígio de idolatria. Outros pensam que o objetivo era torná-la menos atraente com todas essas modificações.
[5]Devarim/Deuteronômio 21:13 – Seu pai e sua mãe. Trinta dias de luto é um período mencionado em Bamidbar/Números 20:“29 o povo compreendeu que Aharon tinha morrido. Toda a família de Yisra'El se enlutou por Aharon por trinta dias”. Temos que a expressão 'trinta dias', como diz Bereshit/Gênesis 50:“3 Gastaram nisso quarenta dias, que é o tempo necessário ao embalsamamento. Os mitsraiym choraram-no durante setenta dias.” e D'varim/Deuteronômio 34:“8 E os filhos de Yisra'El prantearam a Mosheh trinta dias, nas campinas de Moav; e os dias do pranto do luto de Moisés se cumpriram.”. Muitos eventos registrados em seguida ocorreram nesses trinta dias.”, mostra o apego ao cumprimento das Palavras de Hashem por parte de Yisra'El. Outros povos fazem à sua maneira.  Foi depois de haver terminado o período de luto que Yisra'El lutou contra Sichon.
[6]Devarim/Deuteronômio 21:13  Fazendo-a tua esposa. Observado o disposto em Shemot/Êxodo 21:“10 Se tomar outra mulher, não diminuirá nada à primeira, quanto à alimentação, aos vestidos e ao direito conjugal”.
[7]Devarim/Deuteronômio 21:14 – Tu a afligiste. Considerar o  disposto neste Sefer D'varim, no perek/capítulo 22, passuk/versículo 24, logo adiante. Esse dispositivo trata de relações íntimas mantidas sem livre consentimento da mulher que, estando na cidade, deve reagir atraindo para si pessoas que a ouçam e a socorram. Não agindo assim, a si será imposta a mesma pena prevista para o homem, a ser cumprida fora dos muros da cidade.
[8]Devarim/Deuteronômio 21:14 – Mantê-la como uma serva. Ou seja, 'continuar desfrutando de seus serviços'. Em hebraico é 'hitamar', que provavelmente se liga à palavra hebraica 'התמך ' que significa 'retenção'. Considerar o exposto no perek/capítulo 24, passuk/versículo 7 deste Sefer D'varim, logo adiante. A Septuaginta traduz como 'tratá-la com desprezo'.
[9]Devarim/Deuteronômio 21:14 – Fruto da virilidade. Conforme dispõem Bereshit/Gênesis 49:“3 Reu'ven, tu és o meu primogênito, minha força, primícia do meu vigor. Notável em dignidade e notável em poder.”. Em hebraico  בכור bekor, procedente de (בכר  - bakar, uma raiz que pode significar ‘nascer primeiro, carregar os primeiros frutos cedo, dar o direito de primogenitura, fazer como primogênito, constituir como primogênito, ser nascido como primícia, ser feito primícia, alguém que dá à luz o primeiro filho, primogênito, primeiro filho, de homens e mulheres, de animais, substantivo de relação (fig.). Temos ainda a palavra hebraica:  בכור – bikkur, procedente  porque pode significar ‘primeiros frutos, as primícias da colheita e das frutas maduras eram colhidas e oferecidas ao Eterno de acordo com o ritual do Shavuot, o pão feito dos grãos novos de trigo oferecidos em Shavuot, o dia das primícias (Yom Ha'bikurim). Por fim há ligação com  בכורה bekorah ou (reduzido) בכרה bekorah, que pode ainda significar ‘direito do primogênito, primogenitura, direito do primeiro filho’.
[10]Devarim/Deuteronômio 21:18 – A tradição entende que este preceito se aplica apenas a um menino entre as idades de 13 e 13,5 anos. Ele não se aplica a uma menina.
[11]Devarim/Deuteronômio 21:19 – Área do Supremo Tribunal. Está é a área de jurisdição da suprema corte, às vezes mencionada como 'seus portões', fazendo reportar ao fato de que cada tribo tinha a sua corte. A Torah exige duas testemunhas (além dos pais) para que esse filho receba o que a tradição denomina: 'refeição do filho rebelde'. Considerar a Nota de Rodapé seguinte.
[12]Devarim/Deuteronômio 21:20 – Glutão. Isso alude à 'refeição do filho rebelde'. A tradição estabeleceu que ele deve furtar dinheiro de seu pai e comprar 50 dinares de carne, comendo-a mal assada fora da propriedade de seu pai e em má companhia. Esta foi a ação estabelecida que, quando testemunhada segundo a Torah, levava o filho a ser condenado à morte.
[13]Devarim/Deuteronômio 21:20 – Bêbado. Da mesma forma referida na Nota de Rodapé anterior, o filho deveria comer a carne e consumir 0,5 log de vinho, equivalente a  pelo menos a 0,75 litros.
[14]Devarim/Deuteronômio 21:20 – Excepcional. Como diz משלי /Mishlei/Provérbios 23:“20 Não estejas entre os beberrões de vinho, nem entre os comilões de carne”.
[15]Devarim/Deuteronômio 21:22 – Pendurá-lo na forca. Segundo entende a tradição ele era pendurado depois de morto, pelas mãos, até antes do sol se pôr. A forca consistia num pilar enterrado no chão, com uma viga projetando-se para o lado. 
[16]Devarim/Deuteronômio 21:22 – Enterrá-lo no mesmo dia. Se isso foi estabelecido pelo Eterno, teu Elohim, para alguém julgado criminoso, que diremos de uma pessoa inocente que falece. Por isso, no Judaísmo do falecido deve ser imediato.
[17]Devarim/Deuteronômio 21:22 – Uma abominação para o Eterno. Literalmente: 'uma extraordinariamente grande maldição'.

Devarim/Deuteronômio 22:
1 Se tu vires o boi ou o cordeiro de teu irmão perdidos, tu não deves ignorá-los. Tu deves retorná-lo a teu irmão[1]2 Se teu irmão não está perto de ti ou se não conheces quem é o seu dono, tu deves trazer o animal para casa e guardá-lo até que teu irmão o identifique, quando então tu deves retorná-lo. 3 Tu deves fazer o mesmo a um jumento, um artigo do vestuário ou qualquer mais que teu irmão perca e tu aches. Tu não deves ignorá-lo. 4 Se tu vires o jumento ou o boi do teu irmão caído sob sua carga[2] na estrada, tu não deves ignorá-lo. Tu deves ajudá-lo a levantar a carga. 5 Nenhum artigo masculino[3] estará na mulher e um homem não vestirá uma roupa feminina. Quem quer que faça tal prática é repulsivo para o Eterno, teu Elohim.

[1]Devarim/Deuteronômio 22:1 – Tu deves retorná-lo a teu irmão. Em se tratando de animal pertencente a um inimigo o mesmo procedimento é descrito em Shemot/Êxodo 23:“4 Se encontrares o boi de teu inimigo ou o seu jumento desgarrado, tu lho reconduzirás”.
[2]Devarim/Deuteronômio 22:4 – Sob sua carga. Conforme o exposto anteriormente, no versículo seguinte a Torah trata do mesmo assunto, como se vê em Shemot/Êxodo 23:“5 Se vires o jumento de teu inimigo caindo sob a carga, guarda-te de passar adiante: ajuda-o a descarregar”.
[3]Devarim/Deuteronômio 22:5 – Artigo masculino. A Septuaginta traduziu como 'traje'. A tradição inclui armas e, de acordo com alguns, tefilin e tsitsit. Em hebraico é לבוש lebus ou לבשׂ lebush, procedente de (לבש labash ou לבשׂ labesh, uma raiz. Pode significar ‘vestir, usar, trajar, colocar vestes, estar vestido estar vestido com sentido figurado estar completamente vestido, ornar com, trajar. Já לבש lebash (aramaico) pode significar ‘estar vestido, vestir alguém, vestes, vestimenta, traje, vestuário. Relaciona-se a  לבוש lebush (aramaico). Pode também significar: veste, vestimenta.

HAFTARAH
Yirmiyahu/Jeremias 41:
1 E no sétimo mês, Yshma’el bem Netaniah, neto de Elishama, que era de ascendência real, junto com vários oficiais e mais dez homens, vieram a Guedaliah ben Achican, em Mitspah e com ele partilharam pão. 2 Yshma’el ben Netaniah e os dez homens que estavam com ele atacaram Guedaliah ben Achican, neto de Shafan e mataram a fio de espada aquele a quem o rei da Babilônia designara para dirigir o país. 3 Mataram também todos os Yehudim que estavam com ele e todos os kasdim que encontraram; e Yshma’el abateu os soldados. 4 Aconteceu então que, no segundo dia após o assassinato de Guedaliah, quando ainda ninguém sabia disto, 5 chegaram várias pessoas de Shechem, Shiloh e Shomron. Eram oitenta homens, que tinham as barbas raspadas, as roupas rasgadas e estavam feridos; e traziam oferendas e incenso para oferecer na Casa do Eterno. 6 E Yshma’el ben Netaniah veio e Mitspah na direção deles, chorando enquanto caminhava e, ao encontra-los, disse-lhes: ‘Venham ao encontro de Guedaliah ben Achican’! 7 Assim que chegaram à cidade, Yshma’el ben Netaniah e seus homens os mataram e jogaram numa cisterna. 8 Porém, dez dentre estes homens lhes disseram: ‘Não nos mates, pois temos esconderijos no campo, onde guardamos cevada, óleo e mel’. Eles então nos os mataram como haviam feito com seus irmãos. 9 E a cisterna em que Yshma’el jogou os cadáveres dos homens que matou por causa de Guedaliah era aquela que tinha sido feita pelo rei Assa, por causa de Basha, o rei de Yisra’El. E Yshma’el ben Netaniah a entulhou de cadáveres. 10 E Yshma’el capturou os remanescentes do povo que estava em Mitspah, as filhas do rei e todos os demais que Nevuzaradan, o capitão da guarda, confiara a Guedaliah ben Achican/Aicão e com eles se dirigiu à terra dos amoniym. 11 E Yochanan/Joanã ben Kareach e os oficias que o acompanhavam tomaram conhecimento de todo mal que havia sido praticado por Yshma’el ben Kareach 12 e juntaram todos os seus homens para lutar contra ele e o encontraram perto do grande reservatório de água que fica em Givon. 13 Quando o povo que estava com Yshma’el avistou Yochanan e os oficias do seu exército, regozijou-se. 14 E todo o povo de Mitzpah que havia sido capturado por Yshma’el foi se juntar a Yochanan bem Kareach. 15 E Yshma’el ben Netaniah, com oiti de seus homens, fugiu de Yochanan e se dirigiu aos amoniym. 16 Então Yochanan ben Kareach e os oficiais que o acompanhavam juntaram todos os de Mitspah que haviam sido resgatados das mãos de Yshma’el ben Netaniah, depois do assassinato de Guedaliah ben Achican, sendo que entre eles havia guerreiros, mulheres, crianças e os oficiais que trouxera de Givon. 17 E eles foram e habitaram em Gerut-Kimham, que fica perto de Beit Lechem, com a intenção de ir para o Egito, 18 porque temiam os kasdim, já que Yshma’el ben Netaniah assassinara Guedaliah ben Achican, a quem o rei da Babilônia havia nomeado governador do país.                     

Michah/Miquéias 5:
1 E tu, Beit Lechem de Efrat, és muito pequena para ser contada entre os milhares de Yehudah, mas de ti sairá, para Mim, alguém que há de ser o condutor de Yisra’El, cuja origem remontará ao passado distante. 2 Entretanto, Ele os entregará pelo tempo que leva a parturiente até dar à luz. Então, o restante de seus irmãos retornará com os filhos de Yisra’El. 3 Ele se erguerá e liderará com a força que lhe concedera o Eterno e com a majestade do Nome do Eterno, seu Elohim; e habitarão, porque então ele se terá engrandecido até os confins da terra 4 e isto assegurará a paz. Se vier o ashuriy à nossa terra e tentar destruir nossos palácios, levantaremos contra ele sete pastores e oito príncipes dentre os nossos 5 e assolarão a terra de Ashuriy[4] com suas armas e a terra de Nimrod com a espada afiada; ele nos livrará do ashuriy quando este vier à nossa terra e quando ameaçar nossas fronteiras. 6 E o remanescente de Ya’akov estará no meio de muitos povos, como orvalho do Eterno, como suaves gotas sobre a erva tenra, que não são criadas pelo homem, nem esperadas das mãos dos filhos dos homens. 7 E o remanescente de Ya’akov estará entre as nações, no meio de muitos povos, como um leão entre as feras do bosque, como um filhote de leão entre rebanhos de ovelhas que, ao passar entre eles, produz estragos dos quais ninguém os pode livrar. 8 Tua mão se erguerá contra teus adversários e todos eles serão derrotados. 9 “Naquele dia” – diz o Eterno – “retirarei do meio de ti teus cavalos e destruirei teus carros; 10 eliminarei tuas cidades fortificadas e derrubarei tuas fortalezas. 11 Eliminarei de tua mão as feitiçarias e não mais haverá adivinhos em teu meio; 12 destruirei tuas imagens esculpidas e teus pilares e não adorarás mais a obra de tuas mãos 13 e desenraizarei tuas asherot e destruirei teus inimigos. 14 Então, com ira e cólera exercerei vingança contra as nações que não Me souberam escutar”.    

[4] Michah/Miqueias 5:5 – Ashuriy. A Assíria foi um reino acádio semita em torno da região do alto rio Tigre, no norte da Mesopotâmia (atual norte do Iraque) e que dominou por diversas vezes ao longo da história os impérios existentes naquela região, desde a tomada da Babilônia até a sua reconquista. Seu nome vem de sua capital original, a antiga cidade de Ashur (em hebraico transliterado Ashûr; em hebraicoאַשּׁוּר, transliterado Ashûr; em aramaicoܐܬ݂ܘܿܪ, Aur). O termo também pode se referir à região geográfica ou mais precisamente, ao centro da região onde estes reinos se localizavam. Os descendentes dos assírios ainda habitam a região nos dias de hoje, formando uma minoria cristã no Iraque.1 2 Durante o Antigo Período Assírio (do século XX a.E.C. ao século XV a.E.C.), Ashur controlou a maior parte da Alta Mesopotâmia. No Período Assírio Médio (do século XV a.E.C. ao século X a.E.C.) a sua influência declinou e só foi reconquistada posteriormente, após uma série de conquistas. O Império Neo-Assírio do início da Idade do Ferro (911 a.E.C.-612 a.E.C.) expandiu-se ainda mais e, sob Assurbanipal (c. 668 a.E.C. - 627 a.E.C.) controlou, por algumas décadas, todo o Crescente Fértil, bem como o Egito, antes de sucumbir à expansão neo-babilônia e, posteriormente, persa.   

SHIRIM U'CHOCHMAH
Shir HaShirim/Cântico dos Cânticos 7:
12  Vem, ó meu Amado! Saiamos ao campo, passemos as noites nas aldeias. 13 Levantemo-nos de manhã para ir aos vinhedos, vejamos se as vides florescem, se a flor se abre, se as romeiras já brotam; ali Te darei o meu grande amor. 14 Os jasmins dão cheiro e às nossas portas há toda sorte de excelente frutos novos e velhos; ó Amado meu, eu os guardei para Ti!

Shir HaShirim/Cântico dos Cânticos 8:
1 Ah! Quem me dera que me foras como irmão e mamaras os peitos de minha mãe! Que Te achara na rua e Te beijara e nem me desprezariam! 2 Levar-Te-ia e introduzir-Te-ia na casa de minha mãe e Tu me ensinarias e Te daria de beber do vinho aromático e do mosto da minhas romãs. 3 A Sua mão esquerda esteja debaixo da minha cabeça e a Sua direita me abrace. 4 Conjuro-vos, ó filhas de Yerushalayim, que não acordeis nem desperteis o meu Amor, até que queira.

SHIR MIZMOR
Tehilim/Salmos 139:
Mizmor leDavid/De David1 Ao mestre do canto, um salmo de David. Ó Eterno, Tu perscrutas meu íntimo e me conheces totalmente. 2 Sabes quando me sento ou levanto e antecipas meu pensamento onde quer que eu esteja. 3 Estás comigo quando repouso ou caminho e Te são conhecidos todos os meus passos. 4 Antes que eu venha a pronunciar uma palavra ela já é conhecida do Eterno. 5 De todos os lados e em todos os tempos me amparas e sobre mim estendes Tua mão protetora embora eu não possa compreender como nem porque. 6 Para onde eu poderia ir se me quisesse afastar de Tua Ruach? Como poderia fugir de Tua Presença? 7 Se aos céus eu ascendesse, lá Te encontraria e se às profundezas me lançasse, também lá estarias. 8 Se com as asas da aurora eu me puser a voar e se aos confins dos mares eu me dirigir, Tua Mão me continuará a conduzir e Tua Destra a me sustentar. 9 Se eu disser: ‘Certamente a escuridão me há de ocultar’ eis que à minha volta se iluminará a noite. 10 De Ti nada encobrem as trevas e para Ti brilha a noite como o dia, pois luz e trevas são para Ti iguais. 11  Minha mente foi por Ti criada e no seio de minha mãe me formaste. 12 Louvar-Te-ei por me teres tão maravilhosamente plasmado, pois admiráveis são todas as Tuas obras como bem o sabe minha alma. 13 De Ti não esteve oculta minha essência quando em segredo fui gerado; nos recônditos da terra fui moldado. 14 Teus olhos fitaram meu ser ainda disforme, pois em Teu livro estão registradas todas as criaturas que, a seu tempo, serão criadas. 15 Para o Eterno entretanto, todas são como se fossem somente uma. 16 Quão valiosos são para mim Teus pensamentos e quão vastos! 17 Se pretendesse contá-los, perceberia serem mais numerosos que os grãos da areia, pois, mesmo ao terminar,  18 continuaria a estar Contigo, ó Eterno! 19 Se destruísses os malévolos, ir-se-iam de mim os sanguinários, que pronunciam Teu Nome para intrigas e O usam em vão. 20 Repudio os que Te odeiam e combaterei os que contra Ti se levantarem. 21 Eu os abomino e verdadeiramente os considero meus inimigos. 22 Analisa-me, ó Eterno! Perscruta meu coração, testa-me e esquadrinha meus pensamentos. 22 E se vires em mim um mau caminho, guia-me ao caminho certo.
por Yossef BenYisra'El
Bom estudo e Shabat Shalom!


Nenhum comentário:

Postar um comentário