quarta-feira, 14 de agosto de 2013

CICLO TRIENAL - SEDRAH 123 (Semana de 10 a 17 de agosto/2013)

(Shabat Shalom)
Torah: D'varim/Deuteronômio 1:1-46
Tema(s): As instruções no Chorev e a incredulidade em Kadesh.
Haftarah: Yeshaiyahu/Isaías 50; Daniel 10; Iyov/Jó 6
Tema(s): A punição do servo; A visão do homem de linho; O sofrimento de Iyov/Jó
Shirim U’Chochmah: Kohelet/Eclesiastes 10:1-11
Tema(s): A insensatez e a sabedoria (I)
Shir Mizmor: Tehilim/Salmos 123
Tema: Pedido de Misericórdia
TORAH
D'varim/Deuteronômio 1:
1 Estas são as palavras que Mosheh falou a todo Yisra'El[1] na margem oriental[2] do Yarden, no deserto e em Arava[3], perto de Suf[4], na vizinhança de Paran[5], Tofel[6], Lavan[7], Chatserot[8] e Di Zahav[9]2 Isto é na área que esta há onze dias de jornada[10] de Chorev[11] até Kadesh Barnea pelo caminho da Montanha de Seir. 3 No primeiro dia do décimo primeiro mês do quadragésimo ano, Mosheh também falou aos Yisre’eliym conforme tudo o que o Eterno ordenou-lhe para eles. 4 Isso foi depois que ele derrotou o rei Sichon[12] dos emoriy, que vivia em Cheshbon e Og[13], rei de Bashan[14], que vivia em Ashtarot, que foi derrotado em Edre'i. 5 Mosheh começou a explicar esta lei na margem oriental do Yarden, na terra de Moav, dizendo: 6 O Eterno, nosso Elohim, falou para nós em Chorev, dizendo: “Vocês já permaneceram demasiado tempo perto desta montanha. 7 Voltem e tomem a direção das montanhas do emoriy e todos os seus territórios vizinhos no Arava, a terra alta, os vales, o Negev[15], a costa marítima, o território Kana’aniy e o Líbano, até o rio Eufrates”. 8 ‘Vejam! Eu coloquei esta terra diante de vocês. Venham, ocupem a terra que o Eterno jurou que daria a seus pais, Avraham, Yits'chak e Ya'akov e a seus descendentes depois deles. 9 Eu então disse a vocês: Eu não posso conduzi-los sozinho. 10 O Eterno, o Elohim de vocês, aumentou seu número até que vocês, agora, são tantos quanto as estrelas do céu. 11 Que o Eterno, Elohim dos seus pais, aumente o número de vocês mil vezes mais e os abençoe conforme Ele prometeu. 12 Mas como posso carregar o peso, a responsabilidade e o conflito que vocês apresentam se estou sozinho? 13 Indiquem por vocês, homens que são sábios, inteligentes e conhecidos das tribos de vocês e eu os nomearei como seus líderes. 14 Vocês responderam-me: ‘A tua sugestão é boa’. 15 Eu selecionei homens sábios e bem conhecidos dentre seus líderes tribais e os nomeei como seus líderes – capitães de milhares, capitães de centenas, capitães de cinquenta[16], capitães de dez e guardas[17] para as tribos de vocês. 16 Eu então dei instruções a seus juízes, dizendo: Ouçam a toda disputa entre seus irmãos e julguem honestamente entre cada homem e seu irmão, mesmo onde um prosélito é interessado. 17 Não deem a qualquer um especial consideração quando submetendo a julgamento. Ouçam igualmente ao grande e ao pequeno e não se impressionem[18] com qualquer homem, uma vez que o julgamento pertence ao Eterno. Se algum caso for difícil, tragam-no a mim e eu o ouvirei. 18 Nesse tempo eu lhes dei instruções com referência a tudo que vocês devem fazer. 19 Nós então partimos de Chorev e viajamos através de todo aquele grande e terrível deserto que vocês viram, indo pelo caminho da montanha do emoriy, como o Eterno nosso Elohim nos ordenou. Finalmente nós chegamos a Kadesh Barnea. 20 Eu lhes disse: Vocês chegaram à montanha do emoriy, que o Eterno nosso Elohim nos está dando. 21 Vê! O Eterno colocou a terra diante de ti. Dirige-te ao norte e a ocupe, conforme o Eterno, Elohim dos teus pais, te disse. Não temas e não te preocupes. 22 Todos vocês então aproximaram-se e disseram: ‘Envia homens à nossa frente para explorar a terra. Que eles tragam de volta um relato acerca do caminho à nossa frente e as cidades que nós encontraremos’. 23 Eu aprovei[19] e nomeei doze homens, um de cada tribo. 24 Eles partiram e rumaram para o monte da terra, indo até o Vale do Cacho[20] e explorando o território. 25 Eles tomaram amostras da fruta da área e as trouxeram de volta para nós. O relato que eles trouxeram de volta foi: ‘A terra que o Eterno nosso Elohim está nos dando é boa’. 26 Vocês não quiseram dirigir-se para o norte, portanto, vocês rebelaram-se contra o Eterno nosso Elohim. 27 Vocês protestaram[21] em suas tendas e disseram: ‘O Eterno nos tirou do Egito porque Ele nos odeia! Ele desejou nos entregar aos emoriy para nos destruir.
28 Para onde estamos rumando? Nossos irmãos tiraram nossa coragem dizendo-nos que eles viram lá uma raça que era maior e mais alta que nós, com grandes cidades fortificadas até os céus, assim como filhos de gigantes[22]’. 29 Eu lhes disse: Não se impressionem[23]! Não tenham medo deles! 30 O Eterno, o Elohim de vocês, está indo diante de vocês. Ele lutará por vocês, assim como vocês O viram fazer no Egito. 31 No deserto vocês também viram que o Eterno, o Elohim de vocês, os carregou ao longo do caminho em que vocês viajaram a este lugar, assim como um homem carrega seu filho. 32 Mas agora, aqui, vocês não têm nenhuma fé no Eterno, o Elohim de vocês! 33 Ele vai diante de vocês em fogo à noite e em nuvem ao dia para mostrar-lhes a trilha a seguir, assim como um batedor lhes descobrindo um lugar para acampar. 34 Quando o Eterno ouviu o que vocês disseram, Ele em ira jurou: 35 “Nenhum homem[24] dessa má geração verá a boa terra que Eu jurei dar a seus pais. 36 A única exceção será Kalev ben Yefuneh[25]. Uma vez que Ele seguiu o Eterno sinceramente, não somente ele a verá, mas Eu darei a ele e a seus descendentes a terra em que ele andou[26]”.  37 O Eterno também mostrou ira contra mim por causa de vocês e Ele disse: “Tu também não entrarás na terra. 38 Yehoshua ben Nun, que está diante de ti, será aquele que entrará e ele dará a Yisra'El sua propriedade hereditária. 39 Aqueles que entrarão na terra serão as crianças, que vocês temeram que seriam tomadas cativas e seus filhos que, mesmo agora, não conhecem o bem e o mal. A eles Eu darei a terra e eles a ocuparão. 40 Vocês devem agora voltar e dirigir-se ao deserto em direção ao Mar Sul”.

[1]D'varim/Deuteronômio 1:1 – Todo Yisra'El. Embora Mosheh ensinasse aos Yisre’eliym muitas coisas, a maior parte foi ensinada através de Aharon e dos anciãos. Daqui até o perek/capítulo 4 passuk/versículo 49, no entanto são apresentadas falas que o próprio Mosheh pronunciou para todo Yisra'El. Estas falas foram pronunciadas nos lugares mencionados neste versículo.
[2]D'varim/Deuteronômio 1:1 – Margem Oriental.
[3]D'varim/Deuteronômio 1:1  Arava. Este é o vale profundo que corre para o norte e o sul do Mar Morto. Ele denota o vale, usualmente, o vale para o sul, que conduz ao Golfo de Akava.
[4]D'varim/Deuteronômio 1:1 – Suf. Muitas fontes o identificam como 'Yam Suf', o 'Mar de Juncos', o 'Mar do Sul' ou 'Mar Vermelho', possivelmente identificado aqui como Golfo de Akava. Encontramos uma designação diferente em Shemot/Êxodo 21:“14 Portanto, narra-se no Livro das Guerras do Eterno: 'Como um limite extremo/be-sufah...".
[5]D'varim/Deuteronômio 1:1 – Paran. A área norte do Sinai, a oeste de Aravah, agora conhecida como Deserto de e-Tih. A referência é mais provavelmente para Rima ou Ritma. Está é Kadesh Barnea, o lugar de onde os espiões foram enviados. Alguns dizem que era um lugar onde muitas giestas (rotem – flores amarelas e brancas) cresciam. Há quem admita que os Yisre’eliym permaneceram nesse lugar por 19 anos.
[6]D'varim/Deuteronômio 1:1 – Tofel. Alguns dizem que Suf ficava entre Paran e Tofel e, nesse âmbito, Tofel é identificado como a área de Kivrot HaTaavah. Outros dizem que Tofel está na área de Shitim, onde talvez tenha estado o Mishkan. Outros identificam Tofel como Marah. A Septuaginta nota que Tofel ficava no Deserto de Paran. Alguns outros o identificam com 'el Tafile', uma vila cerca de 24 quilômetros a sudoeste do Mar Morto.
[7]D'varim/Deuteronômio 1:1  Lavan. Alguns dizem que este foi o lugar onde se deu a rebelião de Korach. Outros identificam Lavan como o lugar onde as reclamações contra o 'Manah' foram apresentadas, conforme Bamidbar/Números 11:6. Há outra possibilidade em Bamidbar/Números 33:“20 Eles deixaram Rimon Perets e acamparam em Livnah”. 'Livnah ou 'tijolos'. Um lugar em que as fronteiras estavam marcadas com tijolos de construção. Livnah aqui é confundida com Lavan.
[8]D'varim/Deuteronômio 1:1  Chatserot. Encontramos em Bamidbar/Números 11:“35 De Sepultura  do Desejo, o povo viajou para Chatserot”. Alguns dizem que esse lugar é Ain Kadra, cerca de cinquenta e quatro quilômetros a nordeste do Sinai. Os Yisre’eliym chegaram a Chatserot no vigésimo segundo dia do terceiro mês. Alguns dizem que a rebelião de Korach ocorreu em Chatserot e 33:“17 Eles  deixaram   Sepulturas-do-Desejo  e  acamparam  em  Chatserot.” onde 'Chatserot' é interpretado como 'pátios'. Foi nesse lugar que Miriyam foi punida. Alguns dizem que também nesse local ocorreu a rebelião de Korach.
[9]D'varim/Deuteronômio 1:1 – Di Zahav. Alguns dizem que é o lugar onde foi construído o bezerro de ouro. Outros como um lugar onde o Mishkan esteve. A Septuaginta traduz como 'Katachrusea'. Literalmente 'obras de ouro'. Há muitas possíveis interpretações com referência a estes nomes de lugares. 1 Eles eram lugares nas cercanias de Aravot Moab, onde os Yisre’eliym estavam agora acampados. 2 Eles eram lugares ao longo do caminho, onde Mosheh apresentou estas falas a Yisra'El (a interpretação preferida nesta tradução da Torah). Eles eram lugares com referência aos quais Mosheh falou em seus discursos.
[10]D'varim/Deuteronômio 1:2 – Onze dias de jornada. A distância entre o Monte Sinai e Kadesh Barnea é de duzentos e quarenta quilômetros.
[11]D'varim/Deuteronômio 1:2  Chorev. Esta é uma área ao redor do Monte Sinai. O Monte Sinai é assim chamado às vezes, ou seja 'a Montanha de Chorev'. Outros entendem que Chorev era o menor dos dois picos do Monte Sinai. A maioria das fontes antigas identifica o Monte Sinai com 'Yevel Musa' ou 'Monte Catarina', ao sul da Península do Sinai, há cinco dias de jornadas do Egito e a sessenta e quatro quilômetros do Mar Vermelho. De acordo com isso, Mosheh viajou aproximadamente cento e sessenta quilômetros ao longo da costa oeste do Golfo de Akava. No entanto, há algumas dificuldades aí, uma vez que a 'Montanha do Eterno' parece ter estado na rota direta entre Midian e o Egito e a não mais que três dias de jornada donde os Yisre’eliym viviam. Com base nisso, pode-se conjecturar que o Monte Sinai era 'Yevel Ya'Yak', a cerca de cinquenta e um quilômetros da ponta norte do Golfo de Suez ou Yevel Sinn, noventa e seis quilômetros ao leste dos Lagos Amargos.
[12] D'varim/Deuteronômio 1:4  Sichon. Em hebraico temos: סיחון Sichon ou סיחן Sichon. Procedente da mesma raiz de סוח Suach. Significa 'impetuoso'.  Um Asheriy, filho de Zofa;  Seom significa 'guerreiro'. Rei dos amorriy na época da conquista derrotado por Mosheh na Transjordânia. Também se liga a  סין Sin, de derivação incerta.  Sim significa 'espinho' ou 'barro'. Pode se referir a uma cidade na parte oriental do Egito ou a região deserta entre Elim e Sinai.
[13]D'varim/Deuteronômio 1:4 – De acordo com a antiga tradição Sichon e Og eram irmãos e tinham oitocentos anos de idade na ocasião descrita em Bamidbar/Números 21:“21 Yisra'El enviou emissários a Sichon, rei dos emoriy, com a seguinte mensagem: 22 Deixa-nos passar através de tua terra...”. Ambos eram gigantes, mas Og era maior.”. Como vimos Og era um gigante descrito como um dos sobreviventes de Refaim, uma raça de gigantes. Ele é descrito como tendo uma cama de quatro metros de comprimento em D'Varim/Deuteronômio 3:11 De acordo com a tradição ele sobreviveu ao dilúvio dos dias de Noach. Há fontes que dizem que Og tinha quinhentos anos de idade e que se não fosse irmão de Sichon era um amigo muito próximo.  Em hebraico é עוג Og.  Provavelmente procedente de Ug’.  Uma raiz primitiva. Pode significar assar, assar um bolo. ‘Og’ significa 'de pescoço longo'.  Um rei amorreu de Bashan e um dos últimos representantes dos gigantes de Refaim.
[14]D'varim/Deuteronômio 1:4  Bashan. Em hebraico encontramos בשן Bashan.  De derivação incerta. Bashan significa 'frutífero'. Um distrito a leste do Yarden conhecido por sua fertilidade e que foi dado à meia tribo de Menasheh.
[15]D'varim/Deuteronômio 1:7 – Negev. Em português é ‘sul’. Literalmente: ‘terras secas’. Negev em hebraico significa 'sul' em português e é o nome de um deserto no sul de Yisra'El. É um lugar extremamente árido, quente e seco. Apesar das condições, o governo de Yisra'El investiu pesado na região e hoje ele é o maior centro de pesquisa de tecnologias de telecomunicações e também tecnologias ‘verdes’ como energia solar, energia eólica, reaproveitamento de água, irrigação sustentável e dessalinização de água do mar. Muitos produtos que usamos hoje em dia contam com tecnologias que foram desenvolvidas lá, tal como o telefone celular, os processadores da Intel e a base do software do MSN messenger.
[16]D'varim/Deuteronômio 1:15 – Capitães de milhares...capitães de cinquenta. Alguns dizem que os capitães de milhares e de centenas eram líderes militares, enquanto que os capitães de cinquenta eram mestres da Torah e anciãos.
[17]D'varim/Deuteronômio 1:15  Guardas. Eram policiais.
[18]D'varim/Deuteronômio 1:17 – Não se impressionem. Um mandamento para evitar a acepção de pessoas não se impressiona com qualquer exaltação dos litigantes.
[19] D'varim/Deuteronômio 1:23  Eu aprovei. Pela Palavra do Eterno. Ver Bamidbar/Números 13:“2 Envia homens por ti mesmo para explorar o território Kana’aniy que estou perto de dar aos Yisre’eliym. Envia um homem de cada tribo patriarcal. Cada um será uma pessoa de alto nível”.
[20]D'varim/Deuteronômio 1:24 – Vale do Cacho. Nachal Eshkol. Segundo Bamidbar/Números 13:“23 Quando eles chegaram ao Vale do Cacho, eles cortaram um ramo e um cacho de uvas, que dois homens carregaram sobre uma armação. Eles também tomaram algumas romãs e figos”. Esse parece ter sido o lugar mais distante a que chegaram os Yisre’eliym.
[21]D'varim/Deuteronômio 1:27 – Protestaram. Em hebraico é 'ragan'. Temos em Mishley/Provérbios 16:“28 O homem perverso instiga a contenda e o intrigante separa os maiores amigos.” e 26:“22 As palavras do intrigante são como doces bocados; elas descem ao mais íntimo do ventre”. Ou 'reclamaram', 'espalharam falsos rumores', 'ficaram confusos', 'espalharam rumores hipócritas'.
[22]D'varim/Deuteronômio 1:28 – Gigantes. Anakim ou Nefilim.
[23]D'varim/Deuteronômio 1:29 – Impressionem. Em hebraico é 'arats' ou 'não deixem que o espírito de vocês seja quebrado'.
[24]D'varim/Deuteronômio 1:35  Nenhum homem. Literalmente, 'se algum homem'. Uma forma de juramento. Em Bamidbar/Números 14:“22 Eu punirei todo o povo que viu Minha glória e os milagres que Eu fiz no Egito e no deserto, mas ainda tentaram testar-Me já dez vezes, não ouvindo Minha voz.” e 32:“11Nenhum dos homens acima de vinte anos de idade que deixou o Egito verá a terra que Eu jurei a Avraham, Yits'chak e Ya'akov, desde que eles não Me seguiram de boa vontade”.
[25]D'varim/Deuteronômio 1:36 – Kalev. Temos em Bamidbar/Números 13:“6 Da tribo de Yehudah, Kalev ben Yefuneh”.
[26]D'varim/Deuteronômio 1:36 – A terra em que ele andou. Encontramos em Bamidbar/Números 14:“24 A única exceção será Meu servo Kalev, uma vez que ele mostrou um espírito diferente e seguiu-Me sinceramente. Eu o trarei para a terra que ele explorou e seus descendentes a possuirão”. Alguns dizem  que somente Kalev foi para Chevron. Ele recebeu, portanto, Chevron como herança.

HAFTARAH
Yeshaiyahu/Isaías 50:
1 Onde está a carta de divórcio pela qual repudiei vossa mãe? Quem é Meu credor, a quem vos vendi? Somente por causa das vossas iniquidades é que fostes vendidos e por causa das vossas transgressões foi repudiada a vossa mãe. 2 Por que, quando vim, não havia ninguém e quando chamei, ninguém respondeu? Acaso se encolheu a Minha mão de forma que Eu não possa redimir? Ou não teria Eu poder para livrar? Eis que Minha repreensão faz secar o mar e transforma em deserto s rios; apodrecem os peixes por não haver água e morrem de sede. 3 Visto de trevas o céu e, como se fora estopa, os recubro. 4 O Eterno Elohim deu a língua dos que aprendem, para que eu possa, com minhas palavras, dar apoio aos fatigados. Ele me desperta a cada manhã, aguça meu ouvido para que eu possa, como discípulo, escutar. 5 Sim! O Eterno Elohim apurou meu ouvido e não me rebelei nem recuei. 6 Voltei-me dos que me queriam ferir e expus minhas faces aos que me queriam arrancar os cabelos da barba; não escondi meu rosto de vitupérios nem dos que sobre mim queriam cuspir. 7 Porque terei a ajuda do Eterno, não fiquei embaraçado; antes, pus meu rosto como granito para falar palavras duras e sei que não serei envergonhado. 8 Perto está aqu’Ele que me justifica; quem contenderá comigo? Apresentemo-nos juntos; quem for meu adversário, chegue-se para mim. 9 Eis que o Eterno Elohim me ajudará; quem haverá que me condene? Como uma roupa usada, envelhecerão todos; a traça os comerá. 10 Quem entre vós teme o Eterno e atende à voz de Seu servo? Embora ande nas trevas e não tenha ainda alcançado a luz, confie no Nome do Eterno. Em seu Elohim busque apoio. 11 Eis que todos que sobre si acendem o fogo da ira do Eterno e que marcham com mechas acesas, serão devorados pelas chamas que atearam. Isto vos sobrevirá de Minha mão e em aflição haveis de jazer.

Dani’El 10:
1 No terceiro ano de Koresh[27] como rei da Pérsia, Dani’El, chamado de Belteshatsar, teve uma revelação sobre o verdadeiro significado de uma visão que lhe ocorrera. 2 Naqueles dias, eu, Dani’El guardava luta durante três semanas. 3 Não comia pão que fosse apetitoso, nem carne nem vinho entravam em minha boca e não me massageava com unguentos, até que se completassem três semanas. 4 No vigésimo quarto dia do primeiro mês, estando junto ao grande rio Tigre, 5 levantei meus olhos e avistei um homem vestido de linho cujas costas estavam cingidas de ouro puro. 6 Seu corpo era como um crisólito, seu rosto tinha o brilho de um relâmpago e seus olhos eram como tochas flamejantes. Seus braços e pés tinham a cor de cobre polido e sua voz ressoava como o barulho de uma multidão. 7 Somente eu, Dani’El, percebi a visão; os homens que me acompanhavam não a enxergaram, mas um grande temor deles se apoderou e fugiram para se esconder. 8 Fiquei só, apreciando esta visão espantosa. Fiquei sem energia, empalideceu meu semblante com a palidez da morte e me faltaram forças. 9 Ao ouvir o som de suas palavras, caí num sono profundo, com meu rosto encostado no solo. 10 E eis que uma mão me tocou, fazendo-me ficar de joelhos, fazendo-me ficar de joelhos, apoiado nas palmas de minhas mãos. 11 E me disse: ‘Dani’El, o bem-amado, presta atenção às palavras que vou te dizer e firma-te onde estás, porque a ti fui enviado’. Ao ouvi-lo me pus a tremer. 12 Então me disse: ‘Não temas, Dani’El, porque desde o primeiro dia em que teu coração buscou compreensão e te puseste a jejuar diante do Eterno, foram escutadas tuas palavras e por causa delas eu vim. 13 Mas o representante celeste do príncipe da Pérsia se manteve em oposição a mim durante vinte e um dias, até que Micha’El, um dos mais destacados representantes celestes, me veio ajudar, pois eu estava só ante os representantes celestes dos reis da Pérsia. 14 Vim agora para te fazer compreender o que sucederá a teu povo no final dos dias, porque todavia há ainda uma visão sobre os dias que advirão’. 15 Ao ouvir as palavras que ele me falava, pus-me com o rosto no solo e me senti entontecido. 16 E eis que alguém com aparência de um ser humano me tocou os lábios; abri minha boca e falei a quem se postara ante mim: ‘Meu senhor, durante o tempo da visão que me ocorreu sobrevieram-me dores e não me restam forças. 17 Como poderia falar agora este pobre servo do meu senhor, falar com quem vem a mim, se não me restam forças e me falta alento’? 18 Então me tocou outra vez aquele que me falara e me fortaleceu 19 e me disse: ‘Ó homem bem-amado, não temas! A paz esteja contigo! Seja forte e tenha ânimo’! E nem bem havia falado, senti-me muito mais fortalecido e disse: ‘Fala, meu senhor, porque tu já me fortaleceste’! 20 Então me disse: ‘Sabes de onde vim a ti? Agora voltarei para pelejar contra o representante celestial do príncipe da Pérsia. E quando me for, eis que virá o príncipe da Grécia. 21 Entrementes, declararei a ti o que consta na verdade da Escritura, mas ninguém me ajuda contra eles, salvo nosso representante celestial Micha’El.

Iyov/Jó 6:
1 Iyov então respondeu: 2 Ah, se minhas queixas fossem postas num dos pratos de uma balança, em que no outro estivessem as desgraças que me atingiram! 3 Sei que pesariam mais que as areias do mar. Por isso são tão duras minhas palavras. 4 pois fui atingido pelas flechas do Todo Poderoso e seu veneno impregna meu espírito. Horrores por Elohim se enfileiram contra mim. 5 Zurraria o burro selvagem se tivesse pastagem? Ou mugiria o boi ante uma manjedoura cheia? 6 Pode o que não tem sabor, ser comido sem que lhe aplique sal? Que gosto teria a seiva da malva? 7 Tudo que minha alma nem sequer tocaria tornou-se agora meu repugnante alimento. 8 Que seja atendido meu anseio! Que o Eterno me conceda o que tanto desejo! 9 Que Ele aceite meu prostrar, que sua ação leve minha vida ao fim! 10 Isto seria um alívio para mim. Eu poderia me alegrar em meio a tamanha dor, pois nunca reneguei a Palavra do Santíssimo. 11 Que força tenho eu ainda para seguir esperando? A que propósito serviria ter paciência para aguardar meu fim? 12 Acaso tenho resistência que possuem as pedras ou seria de cobre minha carne? 13 Por que não encontro em mim força que me ajude e por que se evaporou de mim todo resquício de sabedoria? 14 Aquele que está por cair deve receber apoio de seus amigos, ainda que tenha perdido o temor do Todo Poderoso. 15 Meus irmão me traíram, comportando-se como riachos sazonais. 16 que correm inatingíveis sob o gelo quando o tempo está frio 17 e ante a chegada do calor se derretem e evaporam. 18 Erráticos são seus caminhos e acabam por chegar ao deserto, onde desaparecem. 19 Os condutores das caravanas de Teyma[28] os observam e por eles buscam os viajantes de Sheva[29] que neles confiam; 20 acabam, porém, envergonhados, porque ao se aproximar deles se decepcionam. 21 Assim também vós nada sois. Ao ver meu sofrimento, vos aterrorizais. 22 Acaso vos pedi que me dessem algo? Que me trouxessem algum presente? 23 Pedi que me libertassem de meus inimigos ou que me salvassem de meus opressores? 24 Ensinai-me como manter minha calma e o farei; fazei-me compreender onde errei. 25 Persuasivas são as palavras pronunciadas com retidão! Mas o que buscais atingir com vossa reprimenda? 26 As palavras de um desesperado, vazias como o vento? 27 Trazeis mais aflições para um órfão; não hesitais em cavar um fosso para vosso amigo. 28 Rogo-vos, olhai para mim, pois não vos mentirei olhando-vos face a face. 29 Voltai-vos para mim a fim de que não pratiqueis uma injustiça. Reexaminai minha causa, pois ela é justa. 30 Por acaso há injustiça no que profere minha língua? Não saberia meu coração distinguir o que é iniquidade?

[27] Dani’El 10:1 – Koresh. É um vocábulo proveniente da língua persa. Em hebraico é כורש Koresh. É ditado em Ezra/Esdras 1:“1 No primeiro ano de Ciro, rei da Pérsia, para que se cumprisse a palavra do Eterno, por boca de Yirmyahu, despertou o  Eterno o espírito de Ciro, rei da Pérsia, o qual fez passar pregão por todo o seu reino, como também por escrito, dizendo: 2 Assim diz Ciro, rei da Pérsia: OEterno, Elohim dos céus, me deu todos os reinos da terra e me encarregou de Lhe edificar uma casa em Yerushalaiym de Yehudah”). כרש Koresh é um nome próprio masculino que em português, considerando as regras do transliterado, é grafado como: ‘Ciro’ significando 'possua tu a fornalha'. É usado para se referir ao rei da Pérsia e conquistador da Babilônia; primeiro governador da Pérsia a fazer um decreto permitindo que os exilados Yisre’eliym retornassem para Yerushalaiym.

[28] Iyov/Jó 6:19 – Teyma. Em hebraico é: תימא Teyma ou תמא Tema, provavelmente de origem estrangeira. Em português, partindo do hebraico e observando-se as regras do transliterado, o vocábulo é grafado como: ‘Temá’ significando 'deserto'. É um nome próprio masculino usado para se referir ao nono filho de Yishma’el. Pode ser usado como nome próprio de localidade para se referir à terra habitada por Tema, filho de Yishma’el.   

[29] Iyov/Jó 6:19 – Sheva. Em hebraico temos: שבא Sheva, de origem estrangeira. Em português, observadas as regras do transliterado, é grafado como Shabá ou Sheba significando 'sete' ou 'um juramento'. É um nome próprio masculino usado para se referir a um filho de Yoctan e descendente de Shet, a um filho de Raamah, neto de Cuxe e descendente de Cham ou a um filho de Yocsan, o filho de Avraham com Ketura. Pode ser usado como nome próprio de localidade para se referir a uma nação no sul da Arábia.

SHIRIM U'CHOCHMAH
Kohelet/Eclesiastes 10:
1 Assim como óleo perfumado se torna putrefato sob o efeito de insetos mortos que nele venham cair, sabedoria e honra são sobrepujadas pela insensatez, por menor que ela seja. 2 O coração do sábio se volta para a direita, enquanto o do tolo se volta para a esquerda. 3 A um tolo, que caminha pela estrada da vida, falta inteligência e a todos transparece sua estultice. 4 Se contra ti se inflamar o espírito do governante, não renuncies a teu lugar, pois, ao fim, gentileza mitiga até mesmo ofensas graves. 5 De um grande mal tenho me apercebido sob o sol, como erro provindo do soberano. 6 A insensatez é posta nas alturas e em lugar humilde se assentam os ricos. 7 Vi escravos cavalgando corcéis e príncipes caminhando a pé como se fossem escravos. 8 Quem escava um fosso nele cairá e quem uma cerca quebra por uma serpente será picado. 9 Quem transporta pedras por elas será ferido; quem corta lenha por ela é posto em perigo. 10 Mesmo se o machado está rombudo e ninguém o afia, ele dá mais força ao guerreiro; entretanto, mais vantajosa é a sabedoria. 11 Se a serpente morde porque não foi encantada, nenhuma vantagem há na arte do encantamento.

SHIR MIZMOR
Tehilim/Salmos 123:
1 Um cântico de ascensão. Elevo meus olhos a Ti que nos céus habitas! 2 Assim como se fixam os olhos dos servos na mão de seus senhores e os da serva nas de sua senhora, voltam-se nossos olhos para o Eterno, nosso Elohim e n’Ele permanecerão fixos até que de nós Se compadeça. 3 Compadece-Te de nós, ó Eterno! Concede-nos Tua compaixão, pois estamos exaustos de suportar tanto opróbrio. 4 Nossa alma está saturada de sofrer escárnio dos faustosos e desprezo dos soberbos.
Bom estudo e Shabat Shalom!

2 comentários:

  1. Sedrah Maravilhosa! Que gosto tenho em lê-la quando postada aqui. Essa transliteração do tehilim 123 foi de bom gosto, pois aproveito para adicioná-lo no meu caderno de orações, daí orarei em hebraico. Isso é maravilhoso!
    Todah rabah por esse banquete! Shalom.

    ResponderExcluir
  2. SHABAT SHALOM! Concordo com td q a amiga Aline falou acima, realmente, essa versão em hebraico veio pra aprimorar ainda mais nosso estudo, até mesmo despertando, a vontade de querer cd vez mais aprender a língua hebraica, parabéns. ADIEL.

    ResponderExcluir