quinta-feira, 4 de julho de 2013

CICLO TRIENAL - SEDRAH 117 (Semana de 30 de junho a 06 de julho/2013)

Torah: Bamidbar/Números 28:1-29:39
Tema: Sacrifícios para os Moadim (Festas).
Haftarah: Yehoshua/Josué 7; Yeshaiyahu/Isaías 18; Hoshea/Oseias 6
Tema(s): O pecado de Achan; Contra a Etiópia; Retorno ao Eterno.
Shirim U’Chochmah: Kohelet/Eclesiastes 7:1-19
Tema: Conselhos diversos.
Mizmor Shir: Tehilim/Salmos 117:1-2 e 119:1-80
Tema(s): Convite a louvar; Ode à Torah (I)

TORAH
Bamidbar/Números 28:
1 O Eterno falou a Mosheh, dizendo-lhe para 2 dar aos Yisre’eliym instruções e dizer-lhes: “Sejam cuidadosos para oferecerem Minha oferenda pelo fogo e sacrifício de alimento para Mim, em seu tempo próprio, como Meu aroma apaziguante”. 3 Dize-lhes que a oferenda pelo fogo que eles devem oferecer ao Eterno consistirá em dois cordeiros de um ano, sem defeito, cada dia, como um holocausto regular diário[1]4 Prepara um cordeiro pela manhã e o segundo cordeiro à tarde. 5 Haverá também 1/10 de um efah[2] de flor de farinha de trigo[3] para oblação[4], misturada com ¼ de hin[5] de óleo de oliva prensada manualmente[6].  6 Este é o holocausto regular diário, o mesmo como o apresentado no Monte Sinai[7] como um aroma apaziguante; uma oferenda pelo fogo para o Eterno. 7 Sua libação[8] será ¼ de hin de vinho para cada cordeiro, derramado no santuário como uma libação, uma oferenda de bebida ao Eterno. 8 Apresenta o segundo cordeiro à tarde. Tu o apresentarás com a mesma oblação e libação como o sacrifício da manhã; ele é uma oferenda pelo fogo, um aroma apaziguante ao Eterno. 9 No dia de Shabat[9], tu apresentarás dois cordeiros de um ano adicionais, sem defeito, 2/10 de efah de flor de farinha de trigo misturada com óleo e sua libação. 10 Este é um holocausto apresentado a cada Shabat, além do holocausto regular diário e sua libação. 11 Nos festivais da lua nova[10], vocês apresentarão como holocausto ao Eterno, dois novilhos, um carneiro e sete cordeiros de um ano, todos sem defeito. 12 Haverá uma oblação de 3/10 de efah de flor de farinha de trigo misturada com óleo para cada novilho, uma oblação de 2/10 de efah de flor de farinha de trigo misturada com óleo para o carneiro 13 e uma oblação de 1/10 de efah de flor de farinha de trigo misturada com óleo para cada cordeiro. Este será o holocausto apresentado ao Eterno como um aroma apaziguante. 14 Suas libações de vinho consistirão em ½ hin para cada boi, 1/3 de hin para cada carneiro e ¼ de hin para cada cordeiro. Este é o holocausto da Lua Nova, para os meses do ano lunar. 15 Haverá também um cabrito apresentado como uma oferenda de pecado ao Eterno. Tudo isso será apresentado além do holocausto diário regular e sua libação. 16 O décimo quarto dia do primeiro mês é Pessach do Eterno. 17 Então, no décimo quinto dia, um festival começará, quando será comida matsah por sete dias.  18 O primeiro dia será um dia de convocação kodesh, quando vocês não farão trabalho mundano[11]. 19 Como holocausto ao Eterno, vocês oferecerão dois novilhos, um carneiro e sete cordeiros de um ano, estando certos que todos são sem defeito. 20 Vocês deverão apresentar uma oblação consistindo em flor de farinha de trigo misturada com óleo, 3/10 de efah para cada boi;  2/10 para o carneiro  21 e 1/10 para cada um dos sete cordeiros.  22 Haverá também um cabrito por oferenda de pecado para fazer expiação por vocês. 23 Todos esses serão apresentados além do holocausto da manhã que é oferecido como sacrifício regular diário. 24 Em cada um dos sete dias, vocês prepararão um sacrifício similar como oferenda pelo fogo consumida, um aroma apaziguante ao Eterno. Isto será acréscimo ao holocausto regular diário e sua libação. 25 O sétimo dia será uma convocação kodesh para vocês, quando vocês não farão nenhum trabalho mundano. 26 O dia dos primeiros frutos é quando vocês trazem uma nova oblação[12] ao Eterno como parte do Festival de Shavu’ot[13] de vocês. Ele será uma convocação kodesh para vocês quando vocês não podem fazer nenhum trabalho mundano. 27 Como um aroma apaziguante ao Eterno, vocês então apresentarão um holocausto consistindo em dois novilhos, um carneiro e sete cordeiros de um ano. 28 Sua oblação consistindo em flor de farinha de trigo misturada com óleo será 3/10 de efah para cada boi, 2/10 para o carneiro 29 e 1/10 para cada um dos sete cordeiros. 30 Haverá também um cabrito para expiar por vocês. 31 Vocês devem apresentar tudo isso além do holocausto regular diário e sua oblação. Esses sacrifícios e suas libações[1] devem ser sem defeito para vocês os apresentarem.

[1] Bamidbar/Números 28:3 – Regular diário. Em hebraico é: תמיד tamiyd,  significando ‘estender’. É um nome masculino que pode significar: Continuidade, perpetuidade, estender continuamente, continuadamente como advérbio, continuidade como substantivo.
[2] Bamidbar/Números 28:5 – 1/10 de efah. Em hebraico temos: פה eyfah ou (reduzido) אפה efah, de derivação egípcia. É um nome feminino. Uma medida de quantidade para secos. Cerca de 2,2 litros. Ver Shemot/Êxodo 29:“40 Com o primeiro cordeiro oferecerás a décima parte de um efah de flor de farinha amassada com um quarto de hin de óleo de olivas esmagadas e como libação um quarto de hin de vinho”.
[3] Bamidbar/Números 28:5 – Flor de farinha de trigo. Conforme Sefer Vaiykra/Livro de Levítico 2:1 – Flor de farinha de trigo. Em hebraico é 'solet'. É o melhor grau da farinha, perfeitamente limpa de todo farelo. O 'solet' usado para oferendas de farinha era de uma farinha de grau inferior. Ela tinha que ser cuidadosamente catada para remover toda a fina flor. A quantidade de tal oferenda era de 1/10 de efah. Em hebraico temos: סלת solet, procedente de uma raiz significando ‘descascar’. É um nome feminino que pode significar: ‘Farinha de trigo. Este era o melhor grau de farinha de cevada, equivalente ao ‘solet’ feito de trigo.
[4] Bamidbar/Números 28:5 – Oblação. Em hebraico temos: מנחה minchah, procedente de uma raiz significando ‘repartir’, i.e. ‘conceder’  significando: ‘Presente, tributo, oferta, dádiva, oblação, sacrifício, oferta de carne; oferta de cereais. Ou מנחה minchah (aramaico) correspondente a (מנחה minchah,  significando ‘repartir’, i.e. ‘conceder’. É um nome feminino. que pode significar: ‘Presente, tributo, oferta, dádiva, oblação, sacrifício, oferta de carne, oferta para ao Eterno, oferta de cereais, oferta para o Eterno através de um representante, oferta de manjares’).
[5] Bamidbar/Números 28:5 – Hin. Medida para líquidos. Corresponde a cerca de 0,8 litros.
[6] Bamidbar/Números 28:5 – Manualmente. Conforme Shemot/Êxodo 27:“20 Ordenarás aos b’nei Yisra’El que tragam para a luminária, óleo puro de olivas esmagadas, a fim de manter acesa a lâmpada continuamente”.
[7] Bamidbar/Números 28:6 – No Monte Sinai. Conforme Shemot/Êxodo 24:“5 Enviou jovens dentre os b’nei Yisra’El, os quais ofereceram holocaustos e sacrifícios a YHWH e imolaram touros em sacrifícios pacíficos.” e 29:“39 Oferecerás um desses cordeiros pela manhã e o outro entre as duas tardes”. Alguns dizem que os Yisre’eliym começaram a trazer um sacrifício diário no Monte Sinai mesmo antes do Tabernáculo ter sido erigido.
[8] Bamidbar/Números 28:7 – Libação. É bebida misturada, vinho misturado, oferta de libação. Pode também se referir ao ato de derramar, metal fundido, imagem fundida, oferta de libação, metal fundido, deuses fundidos ou mesmo tecido, coberta, véu, tecido trançado.
[9] Bamidbar/Números 28:9 – Shabat. Todas as oferendas seguintes são chamadas נוסף Mussaf ou ‘adicional’. No judaísmo tradicional a palavra mussaf quer dizer "acréscimo" e se refere ao sacrifício adicional que era feito no Templo de Jerusalém na época bíblica, em dias especiais. A reza de mussaf é acrescentada ao grupo de três rezas judaicas diárias (shacharit pela manhã; minchá à tarde; arvit à noite). Ela é feita somente em dias especiais do calendário judaico: aos sábados; no início dos meses judaicos;; nas festividades que têm origem na Torá.
Normalmente a reza de mussaf é composta pelas três primeiras bençãos (que são comuns a todas as rezas), pelas três últimas bençãos (que também são comuns a todas as rezas) e, no meio, por uma bênção que contém a descrição dos sacrifícios que eram feitos em Jerusalém na época bíblica, além da santificação específica do dia santo a que se refere.
[10] Bamidbar/Números 28:11 – Festivais da Lua Nova. Em Yeshayahu/Isaías 66:23 lemos: “E será que desde uma Lua Nova até à outra e desde um Shabbat até ao outro, virá toda a carne a adorar perante Mim, diz o Eterno”. Yeshayahu está claramente dizendo sobre um tempo no futuro. Ele esta dizendo que em algum tempo no futuro, todos, não somente aqueles que já celebram o Shabbat e a Lua Nova, estarão adorando o Eterno  naqueles dias.  Rosh Chodesh celebra a Lua Nova e por isso, o novo mês no calendário Hebraico. O Rosh Chodesh é determinado, baseando-se na primeira aparição da lua no céu. Durante a era do Templo, duas testemunhas oculares testificavam diante do Sunhedrim/Sinédrio que eles tinham visto a nova crescente prateada, eles então, declarariam o inicio do novo mês.  O Festival da Lua Nova é tratado no livro de Shemot/Êxodo 40:“1 Falou mais o Eterno  a Mosheh, dizendo: 2 No primeiro mês, no primeiro dia do mês, levantarás o tabernáculo da Tenda da Congregação”.  Temos em Shemot/Êxodo 40:“33 Levantou também o pátio ao redor do tabernáculo e do altar e pendurou a cortina da porta do pátio. 34 Assim Mosheh acabou a obra. Então a nuvem cobriu a Tenda da Congregação e a glória do Eterno encheu o tabernáculo;”. Foi na lua nova que a glória do Eterno encheu o Tabernáculo. O Festival da Lua Nova também era um dia de sacrifícios: Bamidbar/Números 28:“11E nos princípios dos vossos meses oferecereis, em holocausto ao Eterno, dois novilhos e um carneiro, sete cordeiros de um ano, sem defeito”. Não somente isto, mas também era um dia em que se tocava o shofar: Bamidbar/Números 10:“10 Semelhantemente, no dia da vossa alegria e nas vossas solenidades e nos princípios de vossos meses, também tocareis as trombetas sobre os vossos holocaustos, sobre os vossos sacrifícios pacíficos e vos serão por memorial perante vosso Elohim: Eu sou o Eterno vosso Elohim”. O Eterno considerava o dia da Lua Nova importante o suficiente, a ponto de requerer ofertas especiais e o toque do shofar! É por esta razão que o Judaísmo tradicional considera o Rosh Chodesh um Dia menor de Expiação. Além de muitos outros eventos Bíblicos que aconteceram na Lua Nova, era também  o dia em que Mosheh falou aos b’nei Yisra’El dando a eles os mandamentos do Eterno. Claramente vemos que Mosheh honrou o festival da Lua Nova assim como Ezra/Esdras, veja Esdras 3:5; David Melech/Rei David, veja Sh'muel Alef /1ºSamuel 20:5, 18, 24 e Sh'lomo Melech/Rei Salomão também o fez. De fato, veja o que Sh'lomo Melech nos diz em Divrei HaYamin Beit/2º Crônicas 2: “4 Eis que estou para edificar uma casa ao nome do Eterno meu Elohim, para lhe consagrar, para queimar perante Ele incenso aromático e para a apresentação contínua do pão da proposição, para os holocaustos da manhã e da tarde, nos Shabatot e nas Luas Novas e nas festividades do Eterno nosso Elohim; o que é obrigação perpétua de Yisra'El”. Note a ultima sentença, em que o Festival da Lua Nova é requerido para sempre. 
[11] Bamidbar/Números 28:18 – Mundano. Ou 'trabalho de serviço' conforme Vaiykrah/Levítico 23:“7 O primeiro dia será um feriado sagrado para vocês, quando vocês não podem fazer qualquer trabalho de serviço”. Trabalho de serviço em hebraico é 'melechet avodah'. Isto todo trabalho que não é necessário para preparar comida, como exposto em Shemot/Êxodo 12:“16 No primeiro dia, assim como no sétimo, tereis uma assembleia kodesh. Durante esses dias não se fará trabalho algum, exceto a preparação da comida para todos”.
[12] Bamidbar/Números 28:26 – Nova oblação. Nos termos de Vaiykrá/Levítico 23:“16 até o dia depois da sétima semana, quando haverá um total de cinquenta dias. Nesse quinquagésimo dia vocês podem apresentar novo grão como uma oblação ao Eterno.”.
[13] Bamidbar/Números 28:26 – Shavu’ot. Ou 'Semanas'. O Targum o denomina Atseret/Recolhimento, outro nome para Shavuot.

Bamidbar/Números 29:
1 O primeiro dia do sétimo mês[1] será uma convocação kodesh para vocês quando vocês não poderão fazer nenhum trabalho mundano. Ele será um dia de soar o Shofar. 2 Como um aroma apaziguante ao Eterno você devem apresentar um holocausto consistindo num novilho, num carneiro e sete cordeiros de um ano, todos sem defeito. 3 A oblação deles de flor de farinha de trigo misturada com óleo será 3/10 de efah para o boi, 2/10 para o carneiro 4 e 1/10 para cada um dos sete cordeiros. 5 Haverá também um cabrito como oferenda de pecado para fazer expiação por vocês. 6 Tudo isso além da oferenda de lua nova[2], da oferenda regular diária e suas exigidas oblações e libações, as quais são um aroma apaziguante, uma oferenda pelo fogo ao Eterno. 7 O décimo dia desse mês[3] será convocação kodesh para vocês, quando vocês devem jejuar[4] e não fazer nenhum trabalho[5]. 8 Como um holocausto para um aroma apaziguante ao Eterno, vocês apresentarão um novilho, um carneiro e sete cordeiros de um ano, estando certos que todos são sem defeito. 9 A oblação deles de flor de farinha de trigo misturada com óleo será 3/10 de efah para o boi, 2/10 para o carneiro 10 e 1/10 para cada um dos sete cordeiros. 11 Haverá também um cabrito como oferenda de pecado, além da oferenda especial de expiação de pecado[6]. Todos esses sacrifícios e suas libações são em acréscimo ao holocausto regular diário e sua oblação. 12 O décimo quinto dia do sétimo mês será convocação kodesh para vocês, quando nenhum trabalho mundano pode ser feito. Vocês celebrarão um festival[7] para o Eterno, por sete dias. 13 Como um aroma apaziguante ao Eterno, vocês apresentarão um holocausto consistindo em 13 novilhos, 2 carneiros e 14 cordeiros de um ano, todos sem defeito. 14 A oblação deles, de flor de farinha de trigo misturada com óleo, será 3/10 de efah para cada um dos 13 bois, 2/10 para cada um dos 2 carneiros 15 e 1/10 para cada um dos 14 cordeiros. 16 Haverá também um cabrito como uma oferenda de pecado. Isto é um acréscimo ao holocausto regular diário, sua oblação e sua libação. 17 No segundo dia haverá 12 novilhos, 2 carneiros e 14 cordeiros de um ano, todos sem defeito, 18 junto com oblações e libações apropriadas ao número de bois, carneiros e cordeiros. 19 Haverá também um cabrito como oferenda de pecado. Estas oferendas e suas libações[8] serão um acréscimo ao holocausto regular diário e sua oblação. 20 No terceiro dia haverá 11 novilhos, 2 carneiros e 14 cordeiros de um ano, todos sem defeito, 21 junto com as oblações e libações apropriadas para o número de bois, carneiros e cordeiros. 22 Haverá também um cabrito como uma oferenda de pecado. Tudo isso é em acréscimo ao holocausto regular diário, sua  oblação e sua libação. 23 No quarto dia haverá 10 novilhos, 2 carneiros e 14 cordeiros de um ano, todos sem defeito, 24 junto com as oblações e libações apropriadas para o número de bois, carneiros e cordeiros. 25 Haverá também um cabrito como uma oferenda de pecado. Tudo isso é em acréscimo ao holocausto regular diário, sua oblação e sua libação. 26. No quinto dia haverá 9 novilhos, 2 carneiros e 14 cordeiros de um ano, todos sem defeito,  27 junto com as oblações e libações apropriadas para o número de bois, carneiros e cordeiros. 28 Haverá também um cabrito como uma oferenda de pecado. Tudo isso é em acréscimo ao holocausto regular diário, sua oblação e sua libação. 29 No sexto dia haverá 8 novilhos, 2 carneiros e 14 cordeiros de um ano, todos sem defeito, 30 junto com as oblações e libações apropriadas para o número de bois, carneiros e cordeiros. 31 Haverá também um cabrito como uma oferenda de pecado. Tudo isso é em acréscimo ao holocausto regular diário, suas oblações e suas libações[9]. 32 No sétimo dia haverá 7 novilhos[10], 2 carneiros e 14 cordeiros de um ano, todos sem defeito, 33 junto com suas oblações e libações apropriadas[11] para o número de bois, carneiros e cordeiros. 34 Haverá também um cabrito como uma oferenda de pecado. Tudo isso é em acréscimo ao holocausto regular diário, suas oblações e suas libações. 35 O oitavo dia será para vocês um tempo de recolhimento[12] quando não farão nenhum trabalho mundano. 36 Como um holocausto para um aroma apaziguante ao Eterno, vocês apresentarão um boi, um carneiro e sete cordeiros de um ano, todos sem defeito, 37 junto com seu[13] número adequado de oblações e libações. 38 Haverá também um cabrito como oferenda de pecado. Esses são em acréscimo ao holocausto regular diário, sua oblação e sua libação.  39 Tudo isso é o que vocês devem apresentar ao Eterno nos festivais de vocês, em acréscimo aos holocaustos de vocês, oblações e libações e oferendas de paz apresentadas como uma promessa geral ou específica[14].

[1] Bamidbar/Números 29:1 – Primeiro dia do sétimo mês. Este é Rosh HaShaná. Temos em Vaiykrá/Levítico 23:“23. O Eterno falou a Mosheh, dizendo-lhe para 24. falar aos Israelitas e dizer: O primeiro dia do sétimo mês será um dia de descanso para vocês. É uma convocação kodesh   para lembrança e soar do chifre de carneiro”. Sétimo mês. O uso de nomes de meses de origem babilônica aqui tem apenas caráter didático. Os Yisre’eliym que buscam cumprir a Torah têm a seguinte premissa: Quando vemos alguma prática da Torah que ainda não estudamos a fundo, utilizamos a halachah e a forma rabínica de entendê-la (salvo se for visivelmente absurda), até estudarmos a fundo para verificar se a prática rabínica está de acordo com as Escrituras. Dentro dessa perspectiva, nós anteriormente adotávamos o calendário rabínico. O calendário rabínico determina que Aviv (também chamado de Nissan) é o primeiro mês do ano, mas que o ano começa no sétimo mês, Etanim (também chamado de Tishrei). A Torah diz que Aviv (que é o primeiro mês após a tekufat Aviv, isto é o equinócio de primavera – o mês do Pessach) é o cabeça dos meses. Os rabinos dizem que Tishrei é o ‘cabeça do ano’.  Contudo, estudando a questão mais a fundo, verificamos que a origem de Rosh HaShanah em Tishrei ao invés de Aviv não tem nada a ver com Mosheh. Havia, nessa época em Tishrei, um festival babilônico ao deus-Marduk chamado de ‘Akitu’ (que ocorria duas vezes ao ano). O costume babilônico era de celebrar o ‘ano novo’ duas vezes ao ano, por ocasião dos festivais de ‘Akitu’. Essa prática passou a ser adotada no Judaísmo. Tanto que a Torah não se refere a essa data como "Rosh HaShaná”, mas sim como "Yom Teruá”. Como o início do ano na Torah é próximo ao primeiro festival de ‘Akitu’, os rabinos então promoveram o sincretismo religioso: Se o ‘primeiro ano novo’ era próximo ao festival de ‘Akitu’, então o ‘segundo ano novo’ também deveria ser. Por esta razão, após termos adquirido tal entendimento, rejeitamos a prática de ‘Rosh HaShanah’ em Tishrei e hoje em dia fazemos apenas a celebração bíblica de ‘Rosh HaShanah’ no primeiro mês, quando de fato começa o ano bíblico.
[2] Bamidbar/Números 29:6 – Além da oferenda da Lua Nova. Uma vez que Rosh HaShanah é também o primeiro dia de um mês lunar, a oferenda da Lua Nova é também apresentada. A oferenda da Lua Nova vem antes da oferenda de ‘Rosh HaShanah’, porque aquela que é mais comumente oferecida tem precedência.
[3] Bamidbar/Números 29:7 – Décimo dia desse mês. Conforme Vaiykra/Levítico 16:“29 Tudo isso será uma lei eterna para vocês. Cada ano, no décimo dia do sétimo mês vocês devem jejuar e não fazer nenhum trabalho. Isto é verdade para ambos, o natural e o prosélito que se ajunta a vocês”.
[4]  Bamidbar/Números 29:7 – Jejuar. Literalmente 'afligir-se' ou 'afligir suas almas'. Aflição aqui inclui a restrição de se lavar, friccionar-se com óleo, calçar sapatos e sexo, mas muitos dizem que essas são proibições somente por legislação rabínica ou as conhecidas ma'assei haTorah.
[5] Bamidbar/Números 29:7 – Trabalho. Conforme Vaiykrá/Levítico 23:“27 O décimo dia do sétimo mês será o Dia de Expiação para vocês. É um feriado sagrado, quando vocês devem jejuar e trazer uma oferenda pelo fogo ao Eterno”. Dia de Expiação. Em hebraico é 'Yom Hakipurim'. Usualmente é abreviado para 'Yom Kipur'. Jejuar. Isto já está determinado no Perek/capítulo 16, passuk/versículo 29 que diz: “29 Tudo isso será uma lei eterna para vocês. Cada ano, no décimo dia do sétimo mês, vocês devem jejuar e não fazer nenhum trabalho'. Jejuar é literalmente 'afligir-se' ou 'afligir suas almas'.
[6] Bamidbar/Números 29:11  Oferenda especial de expiação de pecado. O bode escolhido por sorte em Vaiykra/Levítico 16:“9 Aharon apresentará o bode que tem a sorte para o Eterno de modo que ele será mais tarde preparado como uma oferenda de pecado”. A oferta 'Mussaf' mencionada aqui precedeu o serviço descrito em Vaiykrá/Levítico 16:9.
[7]  Bamidbar/Números 29:12 – Celebrarão um festival. Em hebraico é 'chag' ou 'prepara um sacrifício'. Conforme Shemot/Êxodo 23:“14 Três vezes por ano celebrarás uma festa em Minha honra”.
[8]  Bamidbar/Números 29:19 – E suas libações. Verificar perek/capítulo 29, passuk/versículo 11, acima.
[9]  Bamidbar/Números 29:31 – Libações. O plural aqui alude à libação especial de água que era oferecida em Sukot.
[10]  Bamidbar/Números 29:32 – 7 novilhos. Assim o número total de bois oferecidos em Sukot era 13+12+11+10+9+8+7= 70. Esses 70 bois eram oferecidos pelas 70 nações do  mundo. No perek/capítulo 10 de Bereshit/Gênesis são mencionadas 70 nações. O Talmude faz referência a 70 nações e 70 linguagens.
[11] Bamidbar/Números 29:33 – Suas...apropriadas. Um fraseado um tanto diferente dos demais assemelhados.
[12] Bamidbar/Números 29:35 – Tempo de recolhimento. Em hebraico é 'Atseret'. Diz Vaiykra/Levítico 23:“36 Por sete dias então, vocês apresentarão uma oferenda pelo fogo ao Eterno. O oitavo dia é um feriado sagrado para vocês quando vocês trarão uma oferenda pelo fogo ao Eterno. É um tempo de recolhimento em que vocês não podem fazer nenhum trabalho servil”.  Tempo de recolhimento. Em hebraico é 'atseret'. É um tempo que em que devemos nos retrair de fazer trabalho e manter um nível de santidade.
[13] Bamidbar/Números 29:37  Com seu. Considerar perek/capítulo 29, passuk/versículo 33.
[14] Bamidbar/Números 29:39 – Promessa geral ou específica. Conforme Vaiykrá/Levítico 7: “16 No entanto, se sacrifica uma oferenda significando meramente cumprir um voto geral ou promessa específica , ela será comida no mesmo dia em que ele oferece seu sacrifício, mas o que é deixado pode também ser comido no dia seguinte”. Voto ou promessa específica. Em hebraico é ‘neder’.

HAFTARAH
Yehoshua/Josué 7:
1 E os b’nei Yisra’El cometeram uma transgressão no tocante ao anátema e Achan ben Carmi bem Zavdi ben Zerach, da tribo de Yehudah, tomou do anátema e a ira do Eterno se acendeu contra os b’nei Yisra’El. 2 E Yehoshua enviou de Yericho alguns homens a Ai, que está próximo a Beit Aven, ao leste de Beit El e falou-lhes dizendo: ‘Subi e espionai a terra’. E os homens subiram e espionaram a Ai 3 e voltaram a Yehoshua e lhe disseram: ‘Não suba todo o povo; subam uns dois mil ou três mil homens para derrotar Ai e não fatigues ali todo o povo, porque são poucos’. 4 E subiram lá uns três mil homens do povo e fugiram diante dos homens de Ai. 5 E os homens de Ai feriram deles uns trinta e seis homens e os seguiram desde o portão até Shevarim[1] e os feriram na descida. E o coração do povo se derreteu e se tornou como água. 6 E Yehoshua rasgou suas roupas e prostrou-se em terra sobre seu rosto perante a Arca do Eterno até a tarde, ele e os anciãos de Yisra’El e puseram pó sobre suas cabeças. 7 E Yehoshua disse: ‘Ah, Eterno Elohim! Por que fizeste este povo atravessar o Yarden, para nos dares nas mãos do Emoriy, para nos destruir? Oxalá nos tivéssemos contentado em ficar além do Yarden. 8 Rogo, Eterno! Que direi depois que Yisra’El virou as costas diante de seus inimigos? 9 E ouvirão isto os Kana’aniym e todos os moradores da terra e nos cercarão e aniquilarão nosso nome da terra; e o que farás pelo Teu grande Nome’? 10 E o Eterno disse a Yehoshua: “Levanta-te! Por que estás prostrado sobre teu rosto? 11 Yisra’El pecou; Eles também transgrediram a Minha aliança que lhes havia ordenado e até tomaram do anátema e também furtaram e mentiram e também puseram-no na sua bagagem 12 E os b’nei Yisra’El não puderam aguentar-se diante de seus inimigos, viraram as costas diante de seus inimigos, porquanto se expuseram à maldição. Não estarei mais convosco, se não desarraigardes o anátema de vosso meio. 13 Levanta-te, santifica o povo e dize: ‘Santificai-vos para amanhã, porque assim diz o Eterno Elohim de Yisra’El: Há um anátema no meio de ti Yisra’El! Não poderás suster-te diante dos teus inimigos até que tires o anátema do meio de vós. 14 Chegai-vos amanhã, segundo as vossas tribos e a tribo que o Eterno tomar, chegará segundo as famílias e a família que o Eterno tomar chegará por casas e a casa que o Eterno tomar, chegará homem por homem. 15 E aquele que for tomado com o anátema, será queimado no fogo, ele e tudo quanto tiver, porquanto transgrediu a Aliança do Eterno e cometeu um ato vil em Yisra’El”. 16 E Yehoshua levantou-se de madrugada e fez Yisra’El chegar segundo as suas tribos e a tribo de Yehudah foi tomada. 17 E fez chegar a família de Yehudah e tomou a família de Zerach. E fez chegar a família de Zerach, homem por homem e foi tomado Zavdi. 18 E fez chegar sua casa, homem por homem e foi tomado Achan ben Carmi ben Zavdi ben Zerach, da tribo de Yehudah. 19 E Yehoshua disse a Achan: ‘Meu filho, peço-te dar glória ao Eterno Elohim de Yisra’El e confessa perante Ele e conta-me, rogo, o que fizeste; não me ocultes’. 20 E Achan respondeu a Yehoshua e disse: ‘Realmente pequei contra o Eterno, o Elohim de Yisra’El e fiz assim e assim. 21 E vi entre os despojos um manto babilônico e 200 siclos de prata e uma cunha de ouro do peso de 50 siclos; cobicei-os e os tomei e eis que estão escondidos na terra, no meio da tenda e a prata está debaixo dela’. 22 E Yehoshua enviou mensageiros e eles correram à tenda e eis que estava escondido na sua tenda e a prata estava debaixo dela. 23 E tomaram as coisas do meio da tenda  e as trouxeram a Yehoshua e a todos os b’nei Yisra’El e as colocaram perante o Eterno. 24 E Yehoshua e todo o Yisra’El com ele, tomaram Achan bem Zerach e a prata, o manto e a cunha de ouro e seus filhos e suas filhas e seus bois, seus jumentos e suas ovelhas e a sua tenda e tudo quanto tinha e levaram-nos ao vale de Achor[2]25 E Yehoshua disse: ‘Por que nos perturbaste, o Eterno te perturbará hoje’ – e todo Yisra’El o apedrejou com pedras e depois de os haver apedrejado queimaram-nos no fogo. 26 E levantaram sobre ele um grande montão de pedras, que está lá até hoje e o Eterno Se voltou do ardor de Sua ira. Por isso se chamou o nome daquele lugar Vale de Achor até hoje.   

[1] Yehoshua/Josué 7:5 – Shevarim. Em hebraico é: שבר shever ou שׂבר shever, procedente de (שבר shavar, uma raiz que pode significar: ‘Quebrar, despedaçar, arrombar ou derrubar, destroçar, destruir, esmagar, extinguir, romper no sentido figurativo, ser quebrado, ser mutilado, ser aleijado, ser arruinado, ser esmagado no sentido figurativo,  irromper, dar à luz, ser despedaçado). É um nome masculino que pode significar: ‘Quebra, fratura, esmagamento, brecha, queda, ruína, demolição, quebra, fratura, decifração de um sonho, interpretação, pedreiras.
[2] Yehoshua/Josué 7:24 – Achor. Do hebraico: אחור achor ou (forma contraída) אחר achor, procedente de {אחירע Achira, procedente de (אח ach, uma palavra. É um no nome masculino que pode significar:  irmão, irmão de mesmos pais, meio-irmão de mesmo pai, parente, parentesco, mesma tribo, um em relação a outro em relacionamento recíproco, referindo-se a semelhança) e [רע ra, procedente de (רעע ra a, uma raiz que pode significar: ‘Ser ruim, ser mau, ser desagradável, ser triste, ser ofensivo, ser perverso, ser mau eticamente, causar dano, ferir, agir maldosa ou perversamente, erro no particípio, quebrar, despedaçar, quebrado no particípio, ser quebrado, ser despedaçado, ser totalmente quebrado). רע ra pode significar: ‘Ruim, mau, desagradável, maligno, o que causa dor, infelicidade, miséria, ruim referindo-se à qualidade - terra, água, etc., ruim referindo-se ao valor, pior que, o pior em comparação, infeliz, mau como muito dolorido, grosseiro, de mau caráter, ímpio eticamente referindo-se de forma geral, de pessoas, de pensamentos, atos, ações. É um nome masculino que significa: ‘Mal, aflição, miséria, ferida, calamidade, adversidade, dano, mal no sentido ético. Pode ser também um nome feminino significando:  ‘Mal, miséria, aflição, ferida, dano, mal ético].

Yeshaiyahu/Isaías 18:
1 Ai do país onde se ouve o zumbido intenso do bater de asas, do outro lado dos rios de Kush 2 que envia seus agentes através do mar, em barcos de papiro que deslizam sobre a superfície das águas. Ide, velozes mensageiros, a uma nação de gente alta e de pele brilhante, um povo terrível desde seu nascedouro, uma nação inflexível e vigorosa, cujas terras são divididas por rios! 3 Ó vós, todos os habitantes do mundo, todos os residentes da terra: Quando nas montanhas for erguido um estandarte, o vereis; e quando soar o toque do Shofar, o ouvireis. 4 Pois assim me falou o Eterno: “Manter-me-ei contido e de Minha Morada Me quedarei a olhar, como o calor brilhante da luz do sol, como uma nuvem de orvalho durante a colheita. 5 Porque antes da colheita, quando tiver terminado a floração e as mudas se transformarem em uvas maduras, Ele cortará os galhos com foices e removerá e picará todos os seus cachos. 6 Serão deixados, juntos, para as aves de presa das montanhas e para as feras da terra; e e as aves as devorarão no verão e as feras, no Inverno. 7 Será então que uma oferenda será trazida a YHWH Tseva’ot: O povo que foi disperso e espoliado, junto com alguns dos que, desde sua formação como povo, inspiraram temor; a nação que foi oprimida e aprisionada, cujas terras foram devastadas pelos rios; ao monte Tsiyon, onde reside o Nome do Eterno, YHWH Tseva’ot.

Hoshea/Oseias 6:
1 “Vinde e voltemos ao Eterno, porque Ele, que nos feriu, trará nossa cura! Ele, que desferiu sobre nós Seu castigo, atará nossas feridas! 2 Em dois dias nos reviverá e, no terceiro, reerguer-nos-á, para que possamos viver em Sua presença 3 e saibamos conhecer e reconhecer com ânsia ao Eterno, pois Sua vinda é tão certa como o alvorecer e será para nós uma bênção como a chuva que rega a terra’! 4 Que poderei fazer por ti, ó Efraiym? E por ti, ó Yehudah? Porque vossa benevolência é evanescente como uma nuvem matutina e se evapora como o orvalho. 5 Por isso esculpi através dos nevi'im e destruí com as palavras da Minha boca. Acaso a sentença deles poderá brilhar como a luz? 6 Pois o Meu desejo é benevolência e não sacrifícios; é conhecimento de Elohim e não ofertas de elevação! 7 Mas eles, como Adam, transgrediram a aliança na terra que lhes concedi, agindo traiçoeiramente contra Mim. 8 Gilad é uma cidade habitada por praticantes de iniquidades; está marcada por pegadas ensanguentadas. 9 Como bandos de salteadores aguardam uma vítima; assim comportam-se os cohanim/sacerdotes: Eles cometem assassinatos no caminho de Shechem. Sim, cometem barbaridades! 10 É terrível o que tenho visto na Casa de Yisra’El; prostituição impera em Efraiym e Yisra’El foi contaminado. 11 E tu, também, ó Yehudah, precisas ser julgado antes que Eu faça retornar Meu povo do cativeiro. 

SHIRIM U'CHOCHMAH
Kohelet/Eclesiastes 7:
1 Melhor que um bom óleo é um bom nome e melhor é o dia da morte que o do nascimento. 2 Melhor ir a uma casa enlutada que a uma em festa, pois este é o destino de cada ser humano e isto deve estar presente no coração dos vivos. 3 Sobriedade é melhor que riso fácil, pois também através de um semblante sério pode o coração se alegrar. 4 O coração do sábio se encontra na casa enlutada, enquanto o dos tolos no recinto de alegrias frívolas. 5 Mais proveitoso é escutar a repreensão dos sábios do que a canção dos tolos. 6 Pois o riso dos néscios se assemelha ao crepitar da lenha sob o caldeirão e isto é uma coisa vã. 7 A opressão torna tolo o sábio e o suborno corrompe o coração. 8 Melhor o término de qualquer coisa que seu início, melhor é o paciente que o arrogante. 9 Não permita que se apresse em irar-se seu espírito, pois a ira caracteriza os tolos. 10 Não pergunte: ‘Como puderam ser melhores os dias que já se foram’? Pois esta não é uma pergunta inteligente. 11 A sabedoria é boa quando acompanhada de uma herança, mais ainda para aqueles que estão sob o sol. 12 Pois quem se abriga sob a sabedoria terá também a cobertura do dinheiro e o valor do conhecimento preserva a vida de quem o possui. 13 Aprecie o trabalho Divino, pois poderia alguém transformar o que Ele retorceu? 14 Sinta-se feliz nos dias afortunados e pondere nos dias de adversidade. O Eterno os fez a todos, correspondendo um ao outro, para que não pretenda o homem alcançar significados além dos que Ele permite. 15 Vi de tudo durante os fúteis dias de minha vida; o justo que perece praticando o bem e o iníquo que tem vida longa, embora pratique o mal. 16 Não pretendas ser extremamente correto, nem incomensuravelmente sábio; por haverias de atrair sobre ti desolação? 17 Não insista também em ser perverso, nem queiras ser tolo; por que haverias de morrer antes de tua hora? 18 Bom será que não te esqueças nem de um, nem de outro pensamento, pois aquele que teme ao Eterno livrar-se-á de ambos. 19 Mais do que dez legisladores que estivessem na cidade, dá a sabedoria força ao sábio.

SHIR MIZMOR
Tehilim/Salmos 117:
1 Louvai ao Eterno, ó vós, todas as nações! Louvado seja Ele por todos os povos! 2 Porque imensa é Sua constante bondade para conosco e para sempre durará Sua fidelidade. Louvado seja o Eterno! HaleluYah!

Tehilim/Salmos 119:
  א 1 Bem aventurados aqueles cujos caminhos são íntegros e que andam nas trilhas da Torah do Eterno 2 Bem aventurados são aqueles que guardam as Suas leis e O buscam com todo coração.  3 Não cometem iniquidades, nem se afastam de Suas veredas. 4 Ordenaste que seguíssemos diligentemente Teus preceitos. 5 Oxalá seja firme a direção de meu caminho para guardar sempre os Teus estatutos, 6 pois assim não me sentirei envergonhado ao ponderar sobre todos os Teus mandamentos.  7 Agradecer-Te-ei com um coração sincero ao aprender Teus juízos totalmente justos. 8 Observarei sempre os Teus decretos e por isto jamais me desampares.  
ב 9 Como poderá um jovem manter integridade em seu caminho?Atendo-se ao cumprimento de Tua Palavra. 10 A Ti busquei com todo empenho de meu coração; não permitas que me deixe desviar de Teus mandamentos. 11 Conservo Tua Palavra no fundo de meu coração, para que não venha pecar contra Ti. 12 Bendito sejas Tu, ó Eterno, que me ensinas Teus preceitos. 13 Meus lábios enumeram todas as leis que proclamaste. 14 Regozijo-me tanto seguindo Teus estatutos quanto se houvesse encontrado uma riqueza imensa. 15 Meditarei sempre sobre Teus preceitos, para seguir Teus caminhos. 16 Em Teus estatutos me deliciarei e não negligenciarei nenhuma de Tuas Palavras.
 ג  17 Seja misericordio com Teu servo, para que eu viva e observe Tua Palavra. 18 Desvenda meus olhos para que eu possa perceber as maravilhas de Tua Torah. 19 Sou apenas um peregrino sobre a terra; não me ocultes Teus mandamentos. 20 Consome-se minha alma em ansiar todo o tempo por Teus preceitos. 21 Repreendeste os malditos pecadores que, conscientemente, se esquivam de Teus mandamentos. 22 Livra-me de opróbrio e desprezo, pois Teus princípios sempre guardei. 23 Ainda que príncipes se unam para falar contra mim, Teu servo continua a estudar Tuas leis. 24 Pois elas constituem meu prazer e são minhas conselheiras as Tuas prescrições
ד   25 Prostrada ao pó está minha alma; revive-a segundo Tua Palavra. 26 Eu Te expus meus caminhos e me respondeste; ensina-me agora Tuas leis. 27 Faz-me compreender como seguir Teus preceitos, para que eu possa meditar sobre Tuas maravilhas. 28 De tristeza se derrete em lágrimas minha alma; fortalece-me segundo Tua Palavra. 29 Afasta-me do caminho da falsidade e concede-me piedosamente a Tua Torah. 30 Escolhi o caminho da fidelidade e ponho ante meus olhos Teus ensinamentos. 31 Apego-me a Teus estatutos, ó Eterno! Não me deixes ficar confundido e envergonhado. 32 Seguirei pelo caminho de Teus mandamentos, quando ampliares a compreensão de meu coração.
ה   33 Ensina-me, ó Eterno, o caminho dos Teus estatutos e eu o seguirei com fidelidade. 34 Dá-me entendimento para que eu possa guardar a Tua Torah e observa-la-ei de todo meu coração. 35 Faz-me trilhar a vereda de Teus mandamentos, pois isto é o que mais desejo. 36 Inclina meu coração para Teus preceitos e não para a ganância e à ambição. 37 Desvia meus olhos de contemplarem futilidades e preserva-me em Teus caminhos. 38 Confirma a Teu servo Tua Palavra, que é dedicada aos que Te servem. 39 Desvia de mim o opróbrio de que receio, pois misericordiosos são Teus julgamentos. 40 Tenho ansiado por Teus preceitos; preserva-me por Tua justiça.
ו    41 Que me alcance Tua misericórdia e Tua salvação, conforme a Tua promessa, ó Eterno! 42 Terei então uma resposta aos que me afrontam, pois em Tua Palavra confiei. 43 Não emudece de minha boca o pronunciamento da verdade, pois minha esperança depositei em Teus juízos. 44 Por todo o sempre Tua Torah observarei. 45 Andarei por caminhos largos e seguros, pois Teus preceitos busquei. 46 De Teus testemunhos falarei perante reis e não serei envergonhado.  47 Hei de deleitar-me em Teus mandamentos, pois muito os tenho amado. 48 Estenderei as mãos a Teus mandamentos, que amo e meditarei sobre Teus estatutos
ז    49 Lembra-Te da palavra que deste a Teu servo, pois através dela me transmitiste esperança. 50 Ela é meu conforto em meio à aflição, pois Tua promessa preserva minha vida. 51 Arrogantes zombaram cruelmente de mim, contudo, não me desviei de Tua Torah. 52 Lembrei Teus julgamentos desde tempos passados e com isto me senti confortado.  53 Indignação de mim se apodera à vista dos ímpios que renegam Teus preceitos. 54 Teus estatutos têm sido a inspiração de meus cânticos por onde quer que eu peregrine. 55 Mesmo em plena noite lembro Teu Nome e me mantenho na observância de Tua Torah. 56 Esta alegria é minha porção, por cumprir sempre Teus preceitos.
ח   57 O Eterno é minha porção, por isto assumi observar Tuas leis. 58 Do fundo do coração Te implorei: Tem piedade de mim, como prometeste. 59 Analisei meus caminhos e voltei os meus passos para a observância de Teus preceitos. 60 Apressei-me, nem por um momento me detive, a fim de cumprir Teus mandamentos. 61 Hordas de ímpios me despojaram, mas de Tua Torah não me olvidei 62 e, em meio à noite, me levanto para louvar a Ti e Teus julgamentos plenamente justos. 63 Minha amizade se estende a todos que Te temem e aos que guardam Teus preceitos. 64 Plena está a terra de Tua misericórdia; ensina-me para que eu cumpra Teus estatutos. 
ט   65 Beneficiaste Teu servo, ó Eterno, conforme Tua promessa. 66 Concede-me discernimento e sabedoria, pois creio plenamente em Teus mandamentos. 67 Antes de estudar Tua lei, eu andava em erro, mas agora Tua palavra tenho guardado. 68 Tu és bondoso e benfazejo; ensina-me Teus estatutos. 69 Ímpios forjaram calúnias contra mim, mas em verdade, de todo coração guardei Teus preceitos. 70 Seus corações se tornaram insensíveis, como se estivessem revestidos de gordura, mas eu continuo encontrando prazer em Tua Torah. 71 Foi benéfica minha aflição, pois me conduziu a aprender Teus estatutos. 72 A Torah que enunciaste me é mais preciosa que grandes porções de ouro e prata.    
 י   73 Tuas mãos me formaram e plasmaram; dá-me agora discernimento para estudar Teus mandamentos. 74 Alegrar-se-ão os que Te temem quando me virem, porque saberão que só em Tua Palavra deposito minha esperança. 75 Bem sei que justas são Tuas sentenças e que com razão me afligiste. 76 Possa agora a Tua bondade me confortar conforme prometeste a Teu servo. 77 Que me alcance Tua misericórdia para preservar minha vida, pois em Tua Torah está meu deleite 78 Sejam confundidos os malévolos que me difamam com calúnias; quanto a mim, continuarei a meditar em Teus preceitos. 79 Que tornem a voltar-se para mim os que Te temem e os que conhecem as Tuas leis. 80 Mantenha-se íntegro meu coração em Teus estatutos, para que eu não seja envergonhado.

por Yossef BenYisra'El
Bom estudo e Shabat Shalom!


Nenhum comentário:

Postar um comentário