quinta-feira, 4 de julho de 2013

CICLO TRIENAL LEYELADIM - SEDRAH 116 (AS FILHAS DE TSELOF'CHAD / YEHOSHUA SUCEDE MOSHEH)

Shalom, Yeladim

Na Sedrah da semana passada, pudemos aprender sobre Pin’chas, neto de Aharon e sobre como ele conseguiu impedir a praga que estava assolando o povo do Eterno. Vimos que foi necessária muita coragem e, principalmente, a disposição em agir de acordo com a Vontade de HaShem. O Eterno Se agradou tanto da atitude de Pin’chas que com ele celebrou uma Aliança de Shalom que duraria para sempre, de geração em geração.

Vamos ao nosso estudo desta semana?

AS FILHAS DE TSELOF’CHAD; YEHOSHUA (JOSUÉ) SUCEDE MOSHEH
Bamidbar/Números 26:57-27:23 
A Sedrah desta semana começa nos relatando que, após o episódio de Pin’chas, havia a necessidade de se fazer novo censo dos Yisraeli’im, porém, desta vez, dos Bnei Levi. Ao se contarem as famílias e seus descendentes chegaram ao número de 23.000 varões (homens) com idade acima de 01 mês. Devemos lembrar que os Bnei Levi não eram contados juntamente com os demais israelitas, já que não tinham direito à propriedade da terra.

A seguir temos um interessante relato sobre as filhas de Tselof’chad. Eram ao todo 05 irmãs, Mach’lah, Noah, Chag’lah, Mil’kah e Tirt’sah. Como não tinham nenhum irmão homem, não teriam direito à herança de uma porção de terra. Estas então fizeram uma petição à Mosheh e Elazar, o Cohen, “Nosso pai morreu no deserto. Ele não estava entre os membros do partido de Korach que protestou contra o Eterno, mas ele morreu por causa do seu próprio pecado, sem deixar filhos. Por que estaria o nome de nosso pai em desvantagem na sua família, simplesmente porque ele não teve um filho? Dá-nos uma porção da terra junto com os irmãos de nosso pai” (Bamidbar/Números 27:3-4).

Mosheh decide levar o caso diante do Eterno que assim lhe respondeu, “As banot (filhas de) Tselof’chad têm uma justa reclamação. Dá-lhes uma porção hereditária da terra junto com os irmãos de seu pai. Que a propriedade hereditária do pai delas passe para elas. Fala aos Yisre’eliym e dize-lhes que se um homem morre e não tem filho, sua propriedade hereditária passará para sua filha. Se ele não tem filha, então sua propriedade hereditária será dada a seus irmãos. Se ele não tem irmãos, tu darás sua propriedade aos irmãos de seu pai. Se seu pai não tem irmãos, então tu darás sua propriedade ao parente mais próximo em sua família, que será então seu herdeiro” (Bamidbar/Números 27:7-10).

Finalmente, o Eterno explica a Mosheh como seria sua sucessão, bem como deveria juntar-se aos seus, subindo ao Monte Avarim, “O Eterno disse a Mosheh: ‘Sobe a montanha Avarim onde tu poderás ver a terra que Eu estou dando aos Yisre’eliym. Depois que tu a vires, tu serás juntado ao teu povo, assim como teu irmão Aharon foi. Quando a comunidade contestou o Eterno no Deserto de Tsin, vocês desobedeceram Meu mandamento quando vocês deviam santificar-Me diante dos olhos deles com a água’. O Eterno estava falando de Águas da Disputa em Kadesh no Deserto de Tsin” (Bamidbar/Números 27:12-14).

Como não poderia deixar de ser, Mosheh se preocupa com o futuro do povo! “Mosheh falou ao Eterno, dizendo: ‘Que o onipotente Eterno de todas as almas vivas indique um homem sobre a comunidade. Que ele venha e vá diante deles e que ele os traga e os conduza. Que a comunidade do Eterno não seja como rebanho que não tem Pastor’” (Bamidbar/Números 27:15-17).

Impressionante a reação de Mosheh... Ele havia acabado de ser lembrado que não adentraria a Terra Prometida, mesmo depois de tudo que havia feito pelo povo do Eterno. Teve sua maior culpa, a falta de ter santificado o Nome do Eterno, relembrada e, mesmo assim, sua única preocupação era para com o povo!!!

O Eterno ouve a Mosheh, “O Eterno disse a Mosheh: ‘Toma Yehoshua ben Nun, um homem de espírito e põe tuas mãos sobre ele. Faze-o ficar de pé diante de Elazar, o Cohen e diante de toda a comunidade e que eles te vejam encarregá-lo. Investe-o com parte do teu esplendor de modo que toda a comunidade Yisre’eliy lhe obedecerá. Que ele fique diante de Elazar, o Cohen, que procurará a decisão no Urim diante do Eterno, em seu favor. Por essa palavra Yehoshua, junto com todos os Yisre’eliym e toda a comunidade, virão e irão’” (Bamidbar/Números 27:18-21).

A Sedrah desta semana nos ensina várias lições... É impressionante como o Amor de HaShem está presente em Sua Torah!

Quanto ao censo. Pudemos ver que a terra seria repartida segundo o número de famílias e também de acordo com o tamanho das famílias, para que houvesse justiça e equilíbrio entre os filhos de Yisra’El. Vemos aqui, novamente, que os Bnei Levi não faziam parte desta contagem, já que sua porção era diferenciada, isto é, privilegiada, pois a eles cabia a ocupação de servirem unicamente a HaShem em Seu Mishkan. Seu sustento viria da oferta dos dízimos de toda a congregação de Yisra’El, assim, não teriam a preocupação com a produção de seu próprio alimento.

A segunda lição importante vem com a questão das filhas de Tselof’chad. Podemos ver, novamente, a Justiça de HaShem ao dar a elas também o direito à propriedade da herança de seu pai. Se não fosse assim, como poderiam sustentar-se?

Finalmente, sobre Mosheh e Yehoshua... Certamente, não houve homem tão justo quanto Mosheh. Durante toda a jornada que acompanhamos, pudemos ver momentos de tristeza, de luta, de pedidos de perdão deste homem... O que jamais poderemos dizer acerca dele, é que, em algum momento, tenha agido para si próprio. Se ele acertou ou errou, especificamente, como no caso de Merivah, foi sempre pensando no Reino e nunca nele próprio.

Ser um israelita é isto Yeladim! Temos de pensar sempre no bem estar comum, isto é, se as pessoas que estão conosco nesta caminhada, sob a direção do Eterno, estão bem, precisando de algo.

É como se tivéssemos em nossas mãos apenas um único prato de comida e a fome fazendo com que nossa barriga roncasse... Qual seria sua atitude? Olharia para o lado e veria se há alguém com mais fome do que você ou, simplesmente, devoraria a comida?

Torah é isto, Yeladim! Amor, Justiça e Reino!
por Yossef Michael

Bom estudo e Shabat Shalom

Nenhum comentário:

Postar um comentário