sexta-feira, 17 de maio de 2013

CICLO TRIENAL LEYELADIM - SEDRAH 110 (O BORDÃO/VARA DE AHARON FLORESCE)

Shalom, Yeladim

A Sedrah anterior começa nos contando sobre a rebelião encabeçada por Korach, primo de Aharon e levita da mesma família (leia Bamidbar/Números 16:1 e Êxodo 6:18,20,21).
Ele e seus seguidores foram contaminados pela inveja e o desejo de poder que fez com que se esquecessem "Quem" havia escolhido Mosheh para conduzir Am'Israel, durante sua  trajetória do Egito até a Terra Prometida. 
Como consequencia pela rebeldia contra a direção de HaShem, esses líderes foram punidos com a morte/destruição e com eles, quase 15.000 pessoas que os defendiam.
Vamos ao nosso estudo desta semana?

O BORDÃO (VARA) DE AHARON/ARÃO FLORESCE
Bamidbar/Números 17:6-9 
(A Vara de Aharon)
“Então o Senhor falou a Mosheh: 2-5 Diga a Am’Israel que cada príncipe (nassi) de tribo deverá trazer uma vara de madeira com o seu próprio nome escrito nela. Na vara da tribo de Levi deverá ser escrito o nome de Aharon. Ponham essas varas no interior da tenda do Mishkan, para além do véu, em frente ao Aron haKodesh (Arca Sagrada), onde falo com você. Essas varas servirão para identificar o homem que eu escolhi, pois a sua vara dará brotos e florescerá! Para que parem, enfim, as murmurações e as lamentações contra Mim e contra vocês. 6-11 Mosheh transmitiu essas instruções ao povo e cada um dos doze, incluindo Aharon, trouxeram a sua vara e a colocaram perante O Eterno, na divisão interior onde estava o Aron HaKodesh. No dia seguinte, ao entrar no interior do Mishkan, Mosheh verificou que a vara de Aharon,  que representava a tribo dos Levi'im, havia brotado, produzido flores e até amêndoas, milagrosamente. Mosheh levou as varas para fora e cada um pegou a sua; exceto Aharon. O Senhor disse, então, a Mosheh que colocasse a vara de Aharon permanentemente junto à Arca, como lembrança daquela rebelião e que a mostrasse ao povo, no caso de haver qualquer outro movimento contra a autoridade de Aharon; isso evitaria outra catástrofe no meio do povo. Mosheh fez tudo conforme a ordem de HaShem”.  
Depois que a terra engoliu Korach, Datan e Aviram, ficou claro que Mosheh era o líder escolhido pelo Eterno. O chamado de Aharon como Cohen Gadol, também, foi confirmado quando 250 homens que contestaram sua posição pereceram.
Apesar disso, alguns do povo continuaram insistindo que Mosheh não deveria ter excluído os primogênitos da realização do serviço a HaShem e colocado os levi'im em seu lugar. Insistiam que todas as tribos deveriam ter parte no Serviço a HaShem, através de seus primogênitos. 
O Eterno sabia que a raiz do problema precisava ser extirpada. As atitudes rebeldes (vistas no perek/capítulo anterior) refletiam um desrespeito não só à autoridade de Mosheh e Aharon, mas, principalmente a autoridade do próprio Eterno, assim, era necessário acabar com a rebeldia de uma vez por todas.
Então, quando o povo reclamou quanto a escolha de Aharon como Cohen-Gadol, HaShem resolveu por a prova os murmuradores, mandando que se escolhesse um príncipe de cada tribo para o cargo e que Aharon representasse a  tribo de Levi. Cada qual colocaria sua vara diante de Elohim e a vara que florescesse mostraria quem Ele, HaShem, havia escolhido.
 
Por isso, O Eterno fez com que a vara de Aharon brotasse e florescesse, milagrosamente - dando brotos, flores e amêndoas -
 demonstrando claramente Sua escolha pela tribo de Levi e pondo um fim às reclamações e murmurações do povo. Esse milagre também reafirmou a escolha de Aharon como Sumo-sacerdote, para oficiar o Serviço a Ele.
HaShem ordenou, então, que Mosheh colocasse a vara de Aharon junto à Arca,  como testemunho para as futuras gerações de que, dentre todas as tribos, a dos Levi'im fora a escolhida por Ele.
A vara de Aharon ficou preservada, juntamente com seus brotos, flores e amêndoas, como prova, mais uma vez, da autoridade, domínio e poder do Eterno sobre todas as coisas.
Enfim, Yeladim, por todos os exemplos estudados até o momento, podemos concluir que quando O Eterno escolhe alguém, nada e ninguém pode impedir que Seus planos e propósitos se cumpram em sua vida e, mesmo que alguém se sinta injustiçado em relação a essa escolha, só Ele é verdadeiramente Justo e conhece os corações profundamente, sendo capaz de julgar com justiça e honrar Seus escolhidos, como foi o caso de Mosheh e Aharon.
Dos erros dos israelitas, podemos tirar algumas lições muito importantes para evitarmos desagradar O Eterno e sofrermos com as consequencias:
Vara Florida (para pintar)
  1. Nunca contestar aquilo que é escolha do Eterno;
  2. Nunca duvidar de Sua justiça;
  3. Nunca julgar pela aparência;
  4. Nunca confiar em nosso coração enganoso;
  5. Nunca murmurar ou fazer lashon harah;
  6. Nunca nos rebelarmos contra as instruções do Eterno;
  7. Nunca desrespeitar a Sua autoridade;
  8. Nunca cobiçar aquilo que não nos pertence;
  9. Nunca agirmos com ingratidão;
  10. Sempre acreditarmos na justiça do Eterno;
  11. Sempre confiarmos em Seu poder;
  12. Sempre honrarmos aqueles que Ele colocou como guias nas nossas vidas.
Bom, agora é só colocarmos em prática!
Bom estudo e Shabat Shalom!

Um comentário:

  1. Que Sedrah maravilhosa!! Baruch HaShem por tanta desenvoltura nesse texto o que nos facilita na aplicação. Aprendi...

    ResponderExcluir