segunda-feira, 22 de abril de 2013

SEDRAH 106 - RESUMO SEMANAL (HA'ISHAH / MULHERES)


“Provai, e vede que o Senhor é bom, bem-aventurado o homem que nEle põe sua confiança”. Tehilim (Salmos) 34:8

RESUMO DO ESTUDO SEMANAL DA SEDRAH
Bamidbar (Números) 13:1-33
OS DOZE ESPIAS
Bamidbar (Números) 13 relata a reação dos doze espias que foram à Terra Prometida para averiguar as principais características daquele lugar, como Mosheh os havia instruído. O que chama atenção neste texto é que todos os príncipes, cada líder de sua tribo, enxergaram os mesmos eventos  na terra, porém nem todos relataram da mesma maneira.
Por que pessoas podem ter visões diferentes sobre a mesma coisa, como isso é possível? A resposta é simples, os relatos têm a ver com a motivação de cada um. Somente Caleb e Yehoshua conseguiram passar informações positivas sobre aquilo que presenciaram, devido ao nível de intimidade e confiança que tinham com o Eterno, um relacionamento muito mais próximo que os demais.

A terra era perfeita, entretanto os dez príncipes não conseguiram perceber, pois, só  enxergaram as dificuldades que teriam de enfrentar para conquistá-la.  Quando lemos seus relatos, fica claro que eles não mentiram e nem exageraram, aos olhos humanos e com suas forças, conquistar a terra prometida era quase impossível. Porém, esqueceram-se de que todas as condições necessárias para a conquista viria de Hashem; mais uma vez Ele agiria de maneira sobrenatural, lutando em favor do seu povo.

Esses dez espias já tinham presenciado com seus próprios olhos todos os livramentos, conquistas e milagres que Hashem proporcionou à Israel. O que faz o homem esquecer tão facilmente de tudo que o Eterno lhes faz, individualmente ou como povo? Seria ansiedade, ingratidão, insatisfação, descaso...

Será que foi o Eterno quem pediu para espiarem a terra, para desanimar os príncipes e conseqüentemente todo o povo? Quando lemos os primeiros versículos do capítulo entendemos que foi Hashem quem solicitou a visita dos espias até a terra, porém quando estudamos Devarim (Deuteronômio) 1: 21 e 22: “Vejam, o Senhor, o seu Elohim, põe diante de vocês esta terra. Entrem na terra e tomem posse dela, conforme o Senhor, o Elohim dos seus antepassados, disse a vocês. Não tenham medo nem desanimem. "Vocês todos vieram dizer-me: 'Mandemos alguns homens à nossa frente em missão de reconhecimento da região, para que nos indiquem por qual caminho subiremos e a quais cidades iremos"

Fica muito claro que esse desejo era do próprio povo e jamais do Eterno, por que Hashem pediria para espiar a Terra que Ele já sabia exatamente como era e inclusive já sabia qual seria as estratégias para que o seu povo conquistasse.
Diante de tudo que estudamos e debatemos permanecem as seguintes lições:
  • Jamais devemos duvidar ou questionar qualquer promessa que Hashem tenha para o seu povo, pelo contrário precisamos ter confiança total no Eterno;
  • Não devemos agir com ansiedade, insegurança, medo ou desculpas neste caminho de Teshuvah, mas, sempre procurar ser fortes e corajosos, com muito ânimo. Tudo o que necessitamos para que isso aconteça podemos encontrar na própria Torah, nas instruções e no carinho que recebemos do próprio Criador.
  • A maneira como vemos os fatos pode nos motivar ou desmotivar, bem como aqueles que estão a nossa volta, o que nos leva a viver como Reino, preocupando-nos uns com os outros, sempre caminhando e em constante crescimento, procurando acima de tudo agradar ao Eterno, até mesmo nas atitudes mais simples.
  • Quanto maior a nossa intimidade com Hashem maior será a nossa confiança NEle, conseqüentemente melhor será nossa caminhada, um perfeito relacionamento, uma entrega incondicional.
  • Acreditar que se hoje fizermos a vontade de Hashem, em obediência a Torah, viveremos a eternidade em Yerushalayim, como Ele prometeu aos nossos pais que viveríamos.
Concluímos assim, numa profunda auto-analise que, em alguns momentos de Teshuvah, de alguma forma nos identificamos um pouco com os dez espias, pois somos humanos e dessa forma nos apresentamos inseguros, medrosos, uma ebulição de sentimentos nunca antes revelados, já que antes estávamos adormecidos num sistema religioso e acomodados com tudo a nossa volta, apenas esperando “os milagres” que viriam acontecer, sem necessidade de lutar ou enfrentar os “gigantes”.

Contudo, hoje existe muito mais de Kalev e Yehoshua em nosso interior; para estarmos neste Caminho de Teshuvah, com certeza, já tivemos nossos motivos pessoais para sucumbir, desistir ou até mesmo retroceder. Porém, se ainda continuamos, a passos firmes, obedecendo com maior intimidade é porque realmente acreditamos que Hashem tem o melhor para o seu povo Yisrael. Ele nos apresenta detalhadamente como tomar posse da terra. Ele nos diz como agir, por onde andar, como viver; vai moldando-nos, formando o nosso caráter, nossos sentimentos e razão. Dele vem toda Força e Sabedoria, só precisamos seguir e nunca temer. 
por: Reynah, Rivkah v'Divorach

Nenhum comentário:

Postar um comentário